top
Tipos de Câncer

Câncer de Colo do Útero


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Apoio
  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamento Quimioterápico do Câncer de Colo do Útero

  • Equipe Oncoguia
  • - Data da última atualização: 25/01/2013


A quimioterapia sistêmica emprega drogas anticâncer, que são injetadas na veia ou administradas por via oral. Estes fármacos entram na corrente sanguínea e atingem todas as áreas do corpo, tornando este tratamento potencialmente útil para cânceres que se disseminaram para órgãos distantes (metástases).

As drogas mais utilizadas para tratar o câncer do colo de útero incluem a cisplatina, o paclitaxel o topotecan, ifosfamida, e 5-fluorouracil. Quando o tratamento quimioterápico é o escolhido, a paciente receberá uma combinação de drogas, que atuam para destruir as células cancerosas, mas também danificam algumas células normais, levando a alguns efeitos colaterais durante o tratamento.

Os efeitos colaterais da quimioterapia dependem do tipo de drogas, da dose administrada e do tempo de duração do tratamento. Estes efeitos são temporários e podem incluir:

  • Náuseas e vômitos.
  • Perda de apetite.
  • Perda de cabelo.
  • Inflamações na boca.

A quimioterapia pode danificar as células produtoras de sangue da medula óssea, levando a uma diminuição dessas células, o que pode resultar em:

  • Maior possibilidade de infecção.
  • Sangramento ou hematomas após pequenos cortes ou lesões.
  • Falta de ar.

A fadiga também é bastante comum e pode ser causada pela diminuição dos glóbulos vermelhos, por outras razões relacionadas com a quimioterapia, ou pelo câncer em si.

A maioria dos efeitos colaterais da quimioterapia, exceto a menopausa precoce e a infertilidade, desaparece com o término do tratamento. O cabelo volta a crescer após o término do tratamento. A menopausa precoce pode ser tratada com o uso de hormônios.

Quimioradioterapia

Em alguns estágios do câncer do colo de útero, a quimioterapia é administrada simultaneamente ao tratamento radioterápico. Quando a quimioterapia e a radioterapia são administradas em conjunto, é denominada quimioradioterapia concomitante. Uma opção é administrar uma dose de cisplatina semanalmente durante a radioterapia. A cisplatina deve ser administrada via intravenosa cerca de 4 horas antes da radioterapia. Outra opção seria administrar a cisplatina, juntamente com 5-FU a cada 4 semanas durante o tratamento radioterápico. Outras combinações de fármacos também podem ser utilizadas.
A quimioterapia administrada concomitantemente com a radioterapia pode aumentar a sobrevida da paciente, mas os efeitos colaterais tendem a ser piores.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não

A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2014 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive