Tipos de Câncer

Câncer de Ovário

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamento para Tumores Epiteliais de baixo potencial de malignidade

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/07/2014 - Data de atualização: 20/03/2019


Estes tumores são também denominados tumores de proliferação atípica ou tumores limítrofes. Quando visualizados no ultrassom e na tomografia computadorizada se parecem com o câncer de ovário epitelial invasivo. Para confirmar que não é um câncer epitelial de ovário invasivo é necessário realizar uma biópsia.

A cirurgia para os tumores de proliferação atípicas é similar a cirurgia para o câncer de ovário invasivo só que tem o objetivo de retirar o máximo volume possível do tumor.

Para as mulheres que não querem mais ter filhos, o útero, as trompas de Falópio e os ovários são removidos. O estadiamento cirúrgico é realizado para verificar se o tumor se disseminou além do ovário ou da pelve. Isso significa remover o omento e alguns linfonodos, e fazer a limpeza do abdome e da pelve. Se a paciente quiser engravidar no futuro, apenas o ovário com o tumor e a trompa de Falópio do mesmo lado é removido. Raramente, apenas a parte do ovário que contém o tumor é removido. Essas pacientes ainda devem fazer estadiamento cirúrgico para verificar se o tumor está disseminado. Se o tumor estiver localizado em apenas um dos ovários, a paciente geralmente é acompanhada sem tratamento adicional e monitoradas apenas com ultrassom.
 
Se a doença se encontra disseminada no momento do diagnóstico, o cirurgião removerá o máximo possível do tumor. O tratamento após a cirurgia depende de quanto o tumor invadiu os outros órgãos ou tecidos. Quando esses tumores se disseminam, podem formar implantes tumorais no revestimento do abdome (peritônio) e na superfície dos órgãos no abdome e na pelve. Na maioria das vezes, esses implantes não são invasivos, ou seja, eles não crescem no revestimento abdominal ou nos órgãos.

As pacientes com disseminação não invasiva de um tumor de proliferação atípica geralmente são acompanhadas sem qualquer tratamento posterior após a cirurgia que retirou o máximo volume possível do tumor. Se os implantes de tumor são invasivos, pode ser administrada quimioterapia. A quimioterapia geralmente é a mesma utilizada para o câncer de ovário invasivo.

Se o tumor recidivar após a cirurgia inicial, pode ser considerada uma cirurgia adicional para retirar o máximo volume possível do tumor. Raramente, a quimioterapia e a radioterapia são opções para tumores de proliferação atípicos recidivados.

Fonte: American Cancer Society (11/04/2018)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive