Tipos de Câncer

Câncer de Ovário

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamento do Tumor Estromal de Ovário por estágio

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/07/2014 - Data de atualização: 20/03/2019


Estágio I

Todos os tumores estágio I são tratados com cirurgia para remoção do ovário com o tumor. A maioria das pacientes com tumores estágio I é acompanhada após a cirurgia sem qualquer tratamento adicional. Alguns tumores estágio I são mais propensos a recidivar após a cirurgia. Estes são considerados de alto risco para recidiva. As características que tornam um tumor estágio I de alto risco incluem tumores muito grandes, tumores onde o cisto se rompeu e tumores pouco diferenciados.

Pacientes com carcinoma estromal de ovário, estágio I, de alto risco tem 2 opções terapêuticas após a cirurgia: vigilância ativa ou quimioterapia.

Estágios II, III e IV

Estes tumores são tratados com cirurgia para retirar o ovário com o tumor. A cirurgia também é realizada para diminuição do tamanho do tumor e estadiamento, podendo em seguida ser administrada a quimioterapia ou hormonioterapia. Muitas vezes, a quimioterapia é a mesma que a realizada no tratamento de tumores de células germinativas (PEB: cisplatina, etoposido e bleomicina). A combinação de carboplatina e paclitaxel também pode ser usada​​. O tratamento hormonal é mais frequentemente utilizado para tratar tumores estromais avançados em mulheres que não podem tolerar a quimioterapia, mas que querem fazer o tratamento. Isto pode significar tratar com um medicamento, como leuprolide e goserelina, tamoxifeno ou um inibidor de aromatase. Raramente, a radioterapia é uma opção.

Recidiva

A recidiva pode acontecer anos mais tarde para os tumores estromais. Mesmo assim, o prognóstico ainda pode ser bom porque eles se desenvolvem lentamente. A cirurgia pode ser realizada novamente. Qualquer um dos esquemas de quimioterapia utilizados inicialmente também podem ser utilizados para tratar a recidiva. A hormonioterapia também é uma opção para o tratamento da recidiva. Não existe um tratamento padrão para a recidiva do tumor estromal, de modo que considerar a participação em um estudo clínico também é uma boa opção. A radioterapia também pode ser útil em alguns casos.  

Para tumores que produzem hormônios, os níveis sanguíneos do hormônio podem ser verificados a intervalos regulares após a cirurgia para verificar se existe um aumento desses níveis que poderiam sugerir uma recidiva. O nível da inibina também pode subir em alguns tumores estromais e pode ser útil para diagnosticar uma recidiva.

Fonte: American Cancer Society (11/04/2018)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive