Tipos de Câncer

Câncer de Ovário

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamento do Tumor Estromal de Ovário por estágio

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/07/2014 - Data de atualização: 20/03/2019


Estágio I

Todos os tumores estágio I são tratados com cirurgia para remoção do ovário com o tumor. A maioria das pacientes com tumores estágio I é acompanhada após a cirurgia sem qualquer tratamento adicional. Alguns tumores estágio I são mais propensos a recidivar após a cirurgia. Estes são considerados de alto risco para recidiva. As características que tornam um tumor estágio I de alto risco incluem tumores muito grandes, tumores onde o cisto se rompeu e tumores pouco diferenciados.

Pacientes com carcinoma estromal de ovário, estágio I, de alto risco tem 2 opções terapêuticas após a cirurgia: vigilância ativa ou quimioterapia.

Estágios II, III e IV

Estes tumores são tratados com cirurgia para retirar o ovário com o tumor. A cirurgia também é realizada para diminuição do tamanho do tumor e estadiamento, podendo em seguida ser administrada a quimioterapia ou hormonioterapia. Muitas vezes, a quimioterapia é a mesma que a realizada no tratamento de tumores de células germinativas (PEB: cisplatina, etoposido e bleomicina). A combinação de carboplatina e paclitaxel também pode ser usada​​. O tratamento hormonal é mais frequentemente utilizado para tratar tumores estromais avançados em mulheres que não podem tolerar a quimioterapia, mas que querem fazer o tratamento. Isto pode significar tratar com um medicamento, como leuprolide e goserelina, tamoxifeno ou um inibidor de aromatase. Raramente, a radioterapia é uma opção.

Recidiva

A recidiva pode acontecer anos mais tarde para os tumores estromais. Mesmo assim, o prognóstico ainda pode ser bom porque eles se desenvolvem lentamente. A cirurgia pode ser realizada novamente. Qualquer um dos esquemas de quimioterapia utilizados inicialmente também podem ser utilizados para tratar a recidiva. A hormonioterapia também é uma opção para o tratamento da recidiva. Não existe um tratamento padrão para a recidiva do tumor estromal, de modo que considerar a participação em um estudo clínico também é uma boa opção. A radioterapia também pode ser útil em alguns casos.  

Para tumores que produzem hormônios, os níveis sanguíneos do hormônio podem ser verificados a intervalos regulares após a cirurgia para verificar se existe um aumento desses níveis que poderiam sugerir uma recidiva. O nível da inibina também pode subir em alguns tumores estromais e pode ser útil para diagnosticar uma recidiva.

Fonte: American Cancer Society (11/04/2018)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive