Tipos de Câncer

Câncer de Próstata

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamento do Câncer de Próstata por Estágio

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/06/2014 - Data de atualização: 09/07/2017


O estadiamento da doença é um dos fatores mais importantes na escolha da melhor opção de tratamento. O câncer de próstata é estadiado com base no estágio da doença, nível do PSA e pontuação Gleason no momento do diagnóstico.

Mas outros fatores, como idade do homem, estado de saúde geral, expectativa de vida e preferências pessoais também devem ser levados em consideração ao analisar as opções de tratamento. De fato, muitos médicos determinam as possíveis opções de tratamento de um homem baseados não apenas no estadiamento, mas no risco da recidiva e na sua expectativa de vida.

Você pode querer perguntar ao seu médico quais fatores estão sendo considerados quando se discute as opções de tratamento. Alguns médicos podem recomendar opções terapêuticas diferentes das listadas aqui.

Estágio I


Esses tumores são pequenos (T1 ou T2a) e não se encontram fora da próstata. Eles têm baixa pontuação de Gleason (até 6) e nível de PSA baixo (menor que 10). Eles geralmente crescem muito lentamente e não provocam quaisquer sintomas ou outros problemas de saúde.

Para homens idosos sem quaisquer sintomas do câncer de próstata ou com outros problemas de saúde que possam limitar a sua vida, a vigilância ativa é frequentemente recomendada. Para aqueles que desejam iniciar o tratamento, as opções são a radioterapia ou a prostatectomia.

Os homens mais jovens e saudáveis podem considerar a vigilância ativa, a prostatectomia radical ou a radioterapia.

Estágio II


Os tumores estágio II estão contidos na glândula prostática, mas são maiores, têm maior pontuação de Gleason e os níveis do PSA são maiores do que os tumores do estágio I. Em comparação aos tumores em estágio I, os de estágio II que não são tratados com cirurgia ou radioterapia são mais propensos a eventualmente, se disseminar além da próstata e provocar sintomas.

Assim como no estágio I, a vigilância ativa é muitas vezes uma boa opção para os homens, idosos ou com outros problemas de saúde, cuja doença não está provocando qualquer sintoma. A prostatectomia radical e a radioterapia também podem ser opções adequadas.

As opções de tratamento para os homens mais jovens e saudáveis ​​podem incluir:

  • Prostatectomia radical, muitas vezes com remoção de linfonodos pélvicos. Isto pode ser seguido por radioterapia se o tumor se disseminou além da próstata, no momento da cirurgia, ou se o nível do PSA ainda é detectável após a cirurgia.
  • Apenas radioterapia.
  • Apenas braquiterapia.
  • Braquiterapia e radioterapia combinados.
  • Participação em um estudo clínico.

Todas as opções de radioterapia podem ser combinadas com a hormonioterapia, se existe uma chance de recidiva, baseado no PSA e na pontuação de Gleason.

Estágio  III

Os tumores estágio III cresceram fora da glândula prostática, mas não atingiram a bexiga ou o reto (T3). Não se disseminaram para os linfonodos ou outros órgãos. Estes tumores tem maior probabilidade de recidivar após o tratamento.

As opções de tratamento para este estágio podem incluir:

  • Radioterapia e hormonioterapia.
  • Radioterapia e braquiterapia, possivelmente com um curto período de hormonioterapia.
  • Prostatectomia radical em casos selecionados, muitas vezes com remoção dos linfonodos pélvicos. Isto pode ser seguido por radioterapia.

Os homens com outros problemas de saúde podem receber um tratamento menos agressivo, como a hormonioterapia ou mesmo a vigilância ativa.

A participação em um estudo clínico também é uma opção para muitos homens com câncer de próstata em estágio III.

Estágio  IV


O tumor em estágio IV já se disseminou para as áreas próximas, como bexiga ou reto (T4), para os linfonodos próximos ou para órgãos distantes, como os ossos. Alguns tipos de câncer de próstata T4 podem ser tratados usando alguns dos tratamentos para o estágio III. A maioria dos tumores em estágio IV não é mais curável, mas podem ser tratados. O objetivo do tratamento é manter a doença sob controle durante o maior tempo possível e melhorar a qualidade de vida do homem.

As opções de tratamento podem incluir:

  • Hormonioterapia.
  • Radioterapia (às vezes com quimioterapia), mais hormonioterapia.
  • Prostatectomia radical em homens cujo doença não se disseminou para os linfonodos ou outros órgãos. Isso pode ser seguido por radioterapia.
  • Cirurgia para aliviar sintomas, como hemorragia ou obstrução urinária.
  • Tratamentos para metástases ósseas, como denosumabe, bisfosfonatos (ácido zoledrônico) ou um radiofármaco (estrôncio-89, samário-153 ou o rádio-223 .
  • Vigilância ativa, para pacientes que têm outros problemas de saúde.
  • Participação em um estudo clínico.

O tratamento do câncer de próstata em estágio IV também pode incluir tratamentos para prevenir ou aliviar sintomas como a dor óssea.

Fonte: American Cancer Society (11/03/2016)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive