Tipos de Câncer

Câncer de Glândula Suprarrenal

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Astellas UICC Libbs GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamento do Câncer de Glândula Suprarrenal por Estágio

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 26/01/2017 - Data de atualização: 26/01/2017


Estágio I e II

A cirurgia é o principal tipo de tratamento para o estágio I e II do câncer de glândula suprarrenal, quando toda a glândula é removida. Como cada pessoa tem duas glândulas suprarrenais, a remoção de uma delas geralmente não provoca problemas para o paciente. Se os linfonodos próximos estão aumentados, eles também serão retirados para verificar se contêm células cancerosas. Em muitos casos, nenhum tratamento adicional será necessário. Se o tumor não for removido completamente, pode ser administrada radioterapia e/ou mitotano após a cirurgia para tentar impedir a recidiva da doença.

Estes tratamentos também podem ser administrados se o tumor tiver uma maior chance de recidiva, seja pelo tamanho ou por ser de crescimento rápido. Quando o tratamento é administrado após a cirurgia é denominado terapia adjuvante. O objetivo da terapia adjuvante é destruir as células cancerígenas remanescentes da cirurgia.

Estágio III

A cirurgia é também o principal tipo de tratamento para o estágio III. O objetivo da cirurgia é remover todo o tumor. A glândula suprarrenal com o tumor é sempre retirada junto com tecido ao redor da glândula adrenal, incluindo parte do rim e do fígado. Os linfonodos próximos da glândula suprarrenal também serão removidos. Após a cirurgia, pode ser administrado tratamento adjuvante com radioterapia e/ou mitotano para evitar uma recidiva.

Estágio IV


Se for possível remover todo o tumor, é realizada a cirurgia. Quando a doença está disseminada para outras partes do corpo, geralmente não pode ser curada cirurgicamente. Entretanto, alguns médicos ainda podem recomendar a cirurgia para remover o máximo possível do tumor. Retirar a maior parte do tumor pode reduzir os sintomas, diminuindo a produção de hormônios. A radioterapia também pode ser administrada para tratar qualquer área que esteja provocando sintomas. Por exemplo, a radioterapia pode aliviar a dor em pacientes quando o tumor se disseminou para os ossos. A terapia com mitotano também é uma opção. O tratamento pode ser iniciado imediatamente ou pode ser adiado até que o câncer esteja provocando sintomas. Outros medicamentos quimioterápicos também podem ser utilizados.

Recidiva


A recidiva local pode ser tratada com cirurgia para remoção do tumor. E a recidiva à distância é tratada como doença em estágio IV. Os pacientes com recidiva de doença são frequentemente tratados com mitotano. Eles também podem receber quimioterapia e/ou radioterapia. Se o mitotano não responder ou não for bem tolerado, outros medicamentos podem ser utilizados.

Na maioria das vezes, estes tratamentos fornecem apenas ajuda temporária, porque o tumor continuará crescendo. Nestes casos, o tratamento tem o objetivo de proporcionar qualidade de vida tão boa quanto possível. Em caso de apresentar dor os medicamentos indicados para tratá-lo são a morfina e outros narcóticos. Estudos têm mostrado que o uso de morfina para controle da dor não significa que a pessoa se tornará dependente química.

Fonte: American Cancer Society (25/02/2015)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive