Tipos de Câncer

Osteossarcoma

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Tratamento Baseado na Extensão do Osteosarcoma

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 20/10/2012 - Data de atualização: 16/04/2018


O tratamento do osteossarcoma depende de vários fatores, incluindo extensão, localização, estadiamento e estado geral de saúde do paciente:

  • Localizado e Operável

Estes tumores não se disseminaram para outras partes do corpo e todo o tumor visível pode ser completamente removido cirurgicamente.

Alto Grau.
A maioria dos osteossarcomas é de alto grau, o que significa que pode crescer e se disseminar rapidamente se não for tratado. A sequência normal de tratamento para estes tumores é a seguinte: biópsia, quimioterapia (por umas 10 semanas), cirurgia e quimioterapia (por até um ano).

A quimioterapia é uma parte importante do tratamento para esses tipos de câncer. Mesmo quando os exames de imagem não mostram que o câncer se disseminou para outras partes do corpo, alguns pacientes são susceptíveis de ter micrometástases.

Baixo Grau.
Uma pequena fração de osteossarcoma é de baixo grau, o que significa que tendem a crescer lentamente. Nesta classificação, os osteossarcomas ressecáveis muitas vezes podem ser curados apenas com a cirurgia. Entretanto, se o patologista encontrar doença remanescente na amostra de tecido enviada para análise, a quimioterapia está indicada.

  • Localizado e Não Operável

Estes tumores não se disseminaram para outras partes do corpo, mas não podem ser completamente removidos cirurgicamente, por serem muito grandes ou estarem localizados próximos a estruturas vitais do corpo. Assim como acontece com outros osteossarcomas, é necessária a realização de uma biopsia para confirmar o diagnóstico.

A quimioterapia é geralmente o primeiro tratamento indicado para esse tipo de tumor. Caso o tumor reduza seu tamanho é realizada a cirurgia, seguida de quimioterapia por até um ano.

Se o tumor é irressecável ainda após a quimioterapia, a radioterapia pode ser indicada para tentar manter o tumor sob controle e ajudar a aliviar os sintomas. Isto pode ser também seguido por quimioterapia.

  • Tumor Metastático

Esses tumores já se disseminaram para outras partes do corpo quando são diagnosticados. Na maioria das vezes eles se disseminaram para os pulmões. Assim como acontece com outros tipos de osteossarcomas é necessária a realização de uma biópsia para confirmar o diagnóstico.

A quimioterapia é geralmente o primeiro tratamento indicado para esse tipo de tumor. Após a químio é realizada a cirurgia, seguida de quimioterapia por mais um ano.

Quando o tumor permanece irressecável após a quimioterapia, é recomendada a radioterapia para tentar mantê-lo sob controle e ajudar a aliviar os sintomas. Este procedimento pode ser seguido por quimioterapia.

Como esses tumores podem ser difíceis de tratar, em muitos casos uma opção é a participação em estudos clínicos com tratamentos mais recentes.

  • Recidiva

Recidiva significa que a doença voltou após o tratamento. A doença pode retornar localmente ou em órgãos distantes.

Se possível, a cirurgia para remoção do tumor é o tratamento indicado. Se o tumor recidivar no mesmo local de origem, no braço ou na perna, após a cirurgia salvadora de membros, a amputação do membro pode ser indicada.

A quimioterapia pode ser utilizada para tumores recidivados, embora seu papel nestes casos não esteja claramente definido. Se o tumor não é operável, a radioterapia também pode ser indicada para ajudar a frear seu crescimento e aliviar os sintomas. A radioterapia também pode ser indicada para manter bloquear o crescimento o tumor e aliviar os sintomas da doença. Em alguns casos, a terapia alvo também pode ser uma opção, embora mais pesquisas sejam necessárias para verificar a eficácia dos medicamentos.

Como esses tumores podem ser difíceis de tratar, uma opção é a participação em estudos clínicos com tratamentos mais recentes.

Fonte: American Cancer Society (31/01/2018)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive