Tipos de Câncer

Leucemia Mielomonocítica Crônica (LMMC)

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Transplante de Células Tronco para Leucemia Mielomonocítica Crônica

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/05/2014 - Data de atualização: 04/10/2017


O transplante de células tronco é o único tratamento que pode curar a leucemia mielomonocítica crônica (LMMC). Inicialmente o paciente recebe uma dose elevada de quimioterapia, muitas vezes em combinação com radioterapia de corpo inteiro para destruir todas as células da medula óssea. Em seguida, o paciente recebe as novas células tronco que formaram o sangue. Existem  dois tipos de transplante: alogênico e autólogo.

No transplante autólogo, o paciente recebe de volta suas próprias células tronco. Entretanto este tipo de transplante não é um tratamento padrão para pacientes com LMMC porque a sua medula contém células anormais.

No transplante alogênico, o paciente recebe as células tronco de um doador. Os melhores resultados são obtidos quando as células do doador são compatíveis com as do paciente, geralmente de um irmão.

O transplante alogênico pode apresentar importantes efeitos colaterais, por isso raramente é realizado em pacientes idosos, sendo restrito a pacientes jovens.

Um tipo especial de transplante alogênico, denominado transplante alogênico não mieloablativo pode ser uma opção para os pacientes mais velhos. Este tipo de transplante é também conhecido como mini-transplante ou mini-alogênico. Neste tipo de transplante, as doses de quimioterapia e/ou radioterapia administradas são mais baixas do que as do transplante alogênico normal. Estas doses não são suficientemente altas para destruir todas as células da medula óssea, mas são apenas o suficiente para permitir que as células do doador "peguem” e cresçam na medula óssea. As doses menores de quimioterapia e/ou radioterapia provocam menos efeitos colaterais, permitindo que o tratamento seja melhor tolerado por pacientes mais idosos. Ainda assim, alguns efeitos colaterais podem ocorrer.

Efeitos Colaterais do Transplante


Os efeitos colaterais do transplante de células tronco são similares aos da quimioterapia e da radioterapia, porém mais intensos. Um desses efeitos é diminuição das taxas sanguíneas, que pode causar infecção e hemorragia.

Um efeito colateral importante do transplante alogênico é a doença enxerto-versus-hospedeiro. Isto ocorre quando as novas células do sistema imunológico (doadas) não reconhecem os tecidos do paciente e reagem atacando o novo "organismo”. Isso pode afetar qualquer parte do corpo, podendo ser fatal.

O transplante alogênico é atualmente o único tratamento que pode curar alguns pacientes com LMMC, mas nem todos os pacientes que recebem um transplante são curados. E muitos pacientes podem sofrer sérias complicações devido ao transplante.

Fonte: American Cancer Society (17/02/2016)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive