Tipos de Câncer

Leucemia Mieloide Crônica (LMC)

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Transplante de Células Tronco para Leucemia Mieloide Crônica (LMC)

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 03/08/2015 - Data de atualização: 26/09/2018


O transplante de célula tronco não é um tratamento padrão para leucemia mieloide crônica. No passado, antes dos inibidores de tirosina quinase estarem disponíveis, o transplante era frequentemente utilizado no tratamento da leucemia mieloide crônica. Atualmente, os inibidores de tirosina quinase são o tratamento padrão e os transplantes são feitos com muito menos frequência.

Como o transplante alogênico tem mais chances de cura para a leucemia mieloide crônica, é o mais indicado para pacientes mais jovens, especialmente crianças. É mais provável a ser considerado para aqueles com um doador compatível disponível, como um irmão ou uma irmã.

O transplante também pode ser indicado se a leucemia mieloide crônica não estiver respondendo bem aos medicamentos específicos. É também uma opção para pacientes diagnosticados com fases acelerada ou blástica ou com doença avançada

As doses usuais de quimioterapia podem provocar efeitos colaterais importantes em tecidos que se dividem rapidamente, como a medula óssea. Embora doses mais elevadas de medicamentos quimioterápicos possam ser melhores para destruir as células leucêmicas, não são administradas porque levariam a danos graves para as células da medula óssea provocando escassez letal de células sanguíneas.

Para o transplante de células tronco, doses elevadas de quimioterapia são administradas para destruir as células leucêmicas. Às vezes, também é realizada radioterapia de corpo inteiro com baixas doses de radiação. Este tratamento destrói as células leucêmicas, mas também danifica as células normais da medula óssea. Em seguida, após estes tratamentos, o paciente recebe o transplante de células tronco produtoras de sangue para restaurar a medula óssea.

As células tronco formadoras de sangue usadas para um transplante podem vir do sangue (transplante de células tronco do sangue periférico) ou da medula óssea (transplante de medula óssea). O transplante de medula óssea comumente realizado no passado foi, atualmente, amplamente substituído pelo transplante de células tronco do sangue periférico

Os dois tipos principais de transplantes de células tronco são alogênico e autólogo. No transplante autólogo, as células tronco do próprio paciente são coletadas do sangue ou da medula óssea e devolvidas após o tratamento. No transplante alogênico, as células tronco vêm de um doador, que para diminuir a chance de complicações, o doador precisa corresponder ao tipo de tecido do paciente. Muitas vezes, um parente próximo, como um irmão ou uma irmã, é considerado um doador compatível.

Como a coleta de células tronco do paciente também pode colher células leucêmicas, o transplante alogênico é o principal tipo de transplante utilizado para tratar os pacientes com leucemia mieloide crônica. O transplante de células alogênicas é o único considerado curativo para leucemia mieloide crônica. Ainda assim, este tipo de transplante pode causar complicações graves ou mesmo risco de morte e muitas vezes não é uma boa opção, devido a seus efeitos colaterais em pacientes mais velhos ou com outros problemas de saúde.

Fonte: American Cancer Society (19/06/2018)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive