Tipos de Câncer

Câncer de Colo do Útero

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Biópsias para Câncer de Colo do Útero

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 31/10/2014 - Data de atualização: 11/02/2020


Existem vários tipos de biópsias que podem ser utilizadas para diagnosticar lesões pré-cancerígenas ou cânceres de colo do útero:

  • Biópsia com colposcópio. Nesse tipo de biópsia, em primeiro lugar o colo do útero é examinado com um colposcópio para detectar as áreas anormais. Em seguida com auxílio de uma pinça de biópsia é removida uma pequena porção da área anormal sobre a superfície do colo do útero. Esse procedimento pode causar cólicas leves, dor e algum sangramento. O procedimento é realizado com anestésico local.
     
  • Curetagem endocervical (Raspagem endocervical). Às vezes a zona de transição (área em risco de infecção pelo HPV e pré-câncer) não pode ser visualizada com o colposcópio. Nesse caso, é realizada a curetagem endocervical através da inserção de uma cureta no canal do colo do útero. O tecido removido na curetagem é enviado para análise. Após esse procedimento, as pacientes podem sentir cólicas e ter algum sangramento.
     
  • Biópsia em cone. Nesse procedimento, também conhecido como conização, o médico remove uma amostra de tecido do colo do útero em forma de cone. A biópsia em cone pode também ser utilizada como tratamento para remover completamente muitas lesões pré-cancerígenas e alguns cânceres incipientes.

Existem dois métodos comumente utilizados para as biópsias em cone:

  • Cirurgia de alta frequência. A cirurgia de alta frequência (CAF) ou LEEP (Loop electrosurgical excision procedure) ou, ainda, alça diatérmica; tem sido empregada como um método diagnóstico e muitas vezes terapêutico. A alça diatérmica é um instrumento ablativo constituído por um conjunto de eletrodo ativo acoplado a um filamento de tungstênio. O procedimento é realizado com anestesia local e pode ser feito em consultório. Após o procedimento a paciente pode ter cólicas leves e sangramento moderado que pode persistir por várias semanas.
     
  • Biópsia em cone a frio. Este método utiliza um bisturi cirúrgico ou um laser em vez de um fio aquecido para remover o tecido. O procedimento é realizado com anestesia e é feito em hospital. Após o procedimento, a paciente pode apresentar cólica e sangramento por algumas semanas.

A realização de qualquer tipo de biópsia em cone não impedirá a maioria das mulheres de engravidar, mas em casos nos quais uma grande quantidade de tecido é removida, essas mulheres podem ter um risco aumentado de parto prematuro.

Para saber mais, consulte nosso conteúdo sobre Biópsia e Citologia das Amostras.

Fonte: American Cancer Society (03/01/2020)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive