top

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Terapia Ocupacional

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 18/05/2015 - Data de atualização: 18/05/2015


Receber um diagnóstico de câncer não é nada fácil!
 
A vida muda bastante: a doença pode trazer dor e vários sintomas, as atividades do dia a dia se transformam, o tratamento passa a ocupar boa parte da rotina e das preocupações, os projetos precisam ser adiados.

Quando o tratamento começa, são necessários períodos de internação, cirurgias, quimioterapias e radioterapias, entre tantos outros procedimentos que, ao ajudar, também trazem ainda mais rupturas na vida das pessoas. As mudanças se fazem presentes no lar, no hospital, nos centros de tratamento: escovar os dentes, tomar banho, vestir-se, cozinhar, estudar, trabalhar, estar com amigos, passear, brincar, entre tantas outras atividades, podem tornar-se difíceis, dependendo de cada caso.

Em todos estes momentos, o terapeuta ocupacional é um profissional que pode ajudar os pacientes com câncer. Através de suas intervenções, ele busca resgatar a autonomia e a independência no cotidiano, na realização de todas estas atividades citadas. Também pode ajudar na realização de novas atividades e novos projetos, a partir da vivência da doença, de acordo com as possibilidades e limitações existentes.

A terapia ocupacional é um campo de conhecimento e de intervenção em saúde, na educação e também na área social. Este profissional trabalha com estratégias e propostas para a emancipação, para a autonomia das pessoas, que por motivos ligados a suas problemáticas, estão vivendo situações de limitação e de dificuldades em viver a vida de uma maneira completa.

O terapeuta ocupacional pode exercer sua atividade em diversos locais: hospitais e seus diversos setores, centros de reabilitação, unidades básicas de saúde, hospitais dia, ambulatórios, consultórios particulares ou no próprio domicílio do paciente. Há também profissionais que atuam em escolas e creches, empresas, organizações não-governamentais e associações, e em todos estes espaços ele poderá ajudar a pessoa que tem câncer a estar em condições físicas e emocionais para realizar atividades que tenham sentido para ela.

Os atendimentos podem ser feitos individualmente e também em grupos, de acordo com as necessidades de cada paciente e do tratamento. Diversos recursos são utilizados:

  • Atividades manuais, lúdicas, artísticas e expressivas.
  • Exercícios terapêuticos.
  • Abordagens corporais.
  • Técnicas para o controle de dor e fadiga.
  • Confecção e indicação de órteses.
  • Confecção e indicação de equipamentos de auxílio e adaptações.
  • Acolhimento, apoio, escuta e conversas.

São diversas as abordagens que podem ser adotadas e estas irão depender do profissional e do local de trabalho. Entretanto, o objetivo maior é sempre a qualidade de vida daqueles a quem atendemos. É sempre preciso lembrar da importância do trabalho em equipe: assistentes sociais, dentistas, educadores, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, médicos, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, entre outros, devem trabalhar de maneira conjunta e integrada, para uma melhor atenção às necessidades dos pacientes.

É necessário lembrar também que, com o adoecimento, os familiares também passam por momentos de sofrimento e situações de mudança. Estes familiares, então, podem precisar de ajuda para lidar com esta situação e devem procurar a equipe de saúde. O apoio e a divulgação de informações aos familiares também são contribuições do terapeuta ocupacional, além de atendimentos específicos aos familiares quando necessário.

O terapeuta ocupacional é um profissional ainda pouco conhecido, especialmente no campo da oncologia. Porém, os trabalhos práticos e os estudos científicos vêm aumentando, e a terapia ocupacional está se desenvolvendo.

Marília Othero
Terapeuta Ocupacional
Colaboradora convidada pelo Instituto Oncoguia

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive