Tipos de Câncer

Câncer de Rim

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Imunoterapia para Câncer de Rim

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 20/11/2014 - Data de atualização: 15/02/2018


O objetivo da imunoterapia (terapia biológica) é estimular o sistema imunológico do organismo a combater ou destruir as células cancerígenas de forma mais eficaz.

Citocinas


As citocinas são versões artificiais de proteínas naturais que ativam o sistema imunológico. As citocinas utilizadas com mais frequência no tratamento do câncer de rim são a interleucina-2 e o interferon-alfa. Ambas as citocinas podem reduzir o tumor em uma pequena porcentagem de pacientes.

Interleucina-2 (IL-2)


Antigamente, a IL-2 era utilizada como terapia de primeira linha para o tratamento do câncer de rim avançado, e ainda pode ser útil para alguns pacientes. Mas, por ser difícil de ser administrada e pela possibilidade de causar efeitos colaterais importantes, é indicada apenas para pacientes com boas condições gerais de saúde que possam tolerar os efeitos colaterais, ou para tumores que não estão respondendo à terapia alvo.

Embora apenas uma pequena porcentagem de pacientes respondem à IL-2, é a única terapia que parece responder a longo prazo. Atualmente, os pesquisadores estão avaliando se determinadas características dos pacientes com câncer de rim podem prever se o uso da IL-2 será útil.

A administração de altas doses de IL-2 pode reduzir o tamanho do tumor, mas isso pode provocar efeitos colaterais importantes, por isso não é usada em pacientes com outros problemas de saúde. São necessários cuidados especiais para reconhecer e tratar esses efeitos colaterais. Em função disso, altas doses de IL-2 são administradas apenas em hospitais com experiência nesse tipo de tratamento. A IL-2 é administrada por via intravenosa.

Os possíveis efeitos colaterais da interleucina-2 incluem:

  • Fadiga extrema.
  • Diminuição da pressão arterial.
  • Derrame pleural (Acúmulo de líquido nos pulmões).
  • Dificuldade respiratória.
  • Danos nos rins.
  • Infarto.
  • Sangramento intestinal.
  • Diarreia ou dor abdominal.
  • Febre alta e calafrios.
  • Taquicardia (aumento da frequência cardíaca).
  • Alterações mentais.

Estes efeitos são frequentemente graves e, raramente, podem ser fatais. Apenas médicos com experiência no uso desses medicamentos devem administrar esses tratamentos.

Interferon-alfa


O interferon tem menos efeitos colaterais importantes do que a IL-2, mas não parece ser tão eficaz quando utilizado sozinho. Ele é usado em combinação com bevacizumab. É administrado como por injeção subcutânea, geralmente 3 vezes por semana.

Os efeitos colaterais comuns do interferon incluem sintomas similares aos da gripe, fadiga e náuseas.

Inibidores do Ponto de Controle Imunológico


As células cancerígenas às vezes usam os pontos de controle para evitar serem atacadas pelo sistema imunológico. Os medicamentos recentes que visam esses pontos de controle são promissores como tratamentos contra o câncer.

Nivolumab. Tem como alvo a PD-1, uma proteína em células do sistema imunológico denominado células T que normalmente ajudam a manter essas células atacando outras células no organismo. Ao bloquear a PD-1, esse medicamento aumenta a resposta imunológica contra as células cancerígenas. Isso pode reduzir alguns tumores ou retardar seu crescimento. Pode ser usado em pacientes cuja doença recidivou após outros tratamentos. É administrado por infusão intravenosa, geralmente a cada 2 semanas.
 
Os efeitos colaterais dos inibidores do ponto de controle imunológico podem incluir fadiga, tosse, náuseas, coceira, erupção cutânea, perda de apetite, constipação, dor nas articulações e diarreia. Esses medicamentos agem, basicamente, removendo os freios no sistema imunológico do corpo. Às vezes, o sistema imunológico ataca outras partes do corpo, o que pode provocar problemas importantes nos pulmões, intestinos, fígado, glândulas hormonais, rins ou outros órgãos.

É importante comunicar imediatamente ao seu médico qualquer efeito colateral que você apresentar. Se ocorrerem efeitos colaterais importantes, o tratamento pode precisar ser interrompido e você dependendo do caso, pode será medicado com altas doses de corticosteroides para suprimir o sistema imunológico.

Fonte: American Cancer Society (01/08/2017)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive