Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

T

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 12/06/2013 - Data de atualização: 16/02/2021


Glossário de termos utilizados neste portal:

 

Tamoxifeno. Medicamento usado para tratar certos tipos de câncer de mama em mulheres e homens. Também é usado para prevenir o câncer de mama em mulheres que tiveram carcinoma ductal in situ e em mulheres com alto risco de desenvolver câncer de mama.

Taxa de dose. Intensidade do tratamento por um dado período de tempo.

Taxa de resposta. Porcentagem de pacientes cujo tumor diminuiu ou desapareceu após o tratamento.

Taxa de sedimentação de eritrócitos. Exame de sangue usado para detectar e monitorar inflamações no corpo. A taxa de sedimentação aumenta quando existe inflamação, infecção, câncer, doenças reumáticas e doenças do sangue e da medula óssea.

Taxa de sobrevida. Porcentual de pessoas em um estudo ou grupo de tratamento que está viva após um determinado período de tempo após o diagnóstico ou tratamento. Essa taxa é muitas vezes medida cinco anos após o diagnóstico ou tratamento e denominada taxa de sobrevida em 5 anos.

Taxa de sobrevida de doenças específicas. Porcentagem de pacientes em um estudo ou grupo de tratamento que não morre de uma doença específica em um determinado período de tempo. O período de tempo geralmente começa no momento do diagnóstico ou no início do tratamento e termina no momento da morte. Pacientes que morreram de outras causas que não devido à doença em estudo não são consideradas nesta medição.

Taxa de sobrevida global. Porcentual de pessoas em um estudo ou grupo de tratamento que está vivo após um determinado período de tempo após o diagnóstico ou tratamento. Essa taxa é muitas vezes medida cinco anos após o diagnóstico ou tratamento e denominada taxa de sobrevida em 5 anos.

Taxa de sobrevida relativa. Uma forma de comparar a sobrevida de pacientes com uma doença específica com aqueles que não têm a doença. A porcentagem de sobreviventes é geralmente determinada em momentos específicos, como 2 e 5 anos após o diagnóstico ou tratamento. A taxa de sobrevida mostra se a doença diminui o tempo de vida.

Tecido. Grupo ou camada de células que funcionam em conjunto para realizar uma função específica.

Tempo de progressão. Medida do tempo após o diagnóstico ou tratamento até que a doença comece a ficar pior.

Tempo de sobrevida. É o tempo que o paciente fica sem a detecção da doença.

Tempo de sobrevida médio. O tempo médio que os pacientes permanecem vivos em um estudo clínico. O tempo é medido a partir do momento do diagnóstico ou no início do tratamento.

Tempo livre de doença. Período de tempo, após o tratamento de uma doença específica, durante o qual um paciente sobrevive sem sinais da doença.

Terapêutica. Tratamento da doença.

Terapêutica de terceira linha. Tratamento que é dado quando tanto o tratamento inicial (tratamento de primeira linha) quanto o tratamento posterior (terapia de segunda linha) não funcionam ou param de funcionar.

Terapêutica primária. O primeiro tratamento de uma condição ou doença. Em pacientes com câncer, a terapêutica primária pode ser cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou uma combinação desses tratamentos.

Terapêutica vigilante. Terapêutica ou observação vigilante é o acompanhamento de perto da situação do paciente até que os sintomas apareçam ou mudem.

Terapia a laser. Uso de um feixe de luz intensa potente para destruir as células cancerosas.

Terapia adjuvante. Tratamento administrado após o tratamento primário para aumentar as chances de cura, podendo incluir quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia ou terapia biológica.

Terapia-alvo. Um tipo de tratamento que utiliza medicamentos ou outras substâncias, como anticorpos monoclonais, para identificar e atacar células cancerígenas específicas sem danificar as células normais.

Terapia anti-hormônio. Tratamento com medicamentos, cirurgia ou radioterapia a fim de bloquear a produção ou a ação de um hormônio. A terapia anti-hormônio pode ser usada no tratamento do câncer porque certos hormônios são capazes de estimular o crescimento de alguns tipos de tumores.

Terapia antiandrogênica. Tratamento com medicamentos usados para bloquear a produção ou interferir na ação dos hormônios sexuais masculinos.

Terapia com anticorpos. Tratamento com uma substância que pode destruir as células tumorais específicas ou estimular o sistema imunológico a destruir as células tumorais.

Terapia biológica. Tratamento para aumentar ou restaurar a capacidade do sistema imunológico no combate ao câncer, infecções e outras doenças. Também é usada para reduzir os efeitos colaterais que podem ser causados por alguns tratamentos. Os agentes utilizados na terapia biológica incluem anticorpos monoclonais, fatores de crescimento e vacinas. Também conhecida como imunoterapia, bioterapia e terapia modificadora da resposta biológica.

Terapia de consolidação. Um tipo de quimioterapia de altas doses muitas vezes administrada após a terapia de indução de um regime de tratamento da leucemia. Também chamada de terapia de intensificação.

Terapia de indução. Tratamento definido para ser utilizado como a primeira etapa para a redução do câncer e na avaliação da resposta a medicamentos e outros agentes. A terapia de indução é seguida por uma terapia adicional para eliminar a doença remanescente.

Terapia de manutenção. Tratamento administrado para ajudar o tratamento primário a manter o câncer em remissão.

Terapia de primeira linha. O primeiro tratamento de uma doença ou condição. Em pessoas com câncer, esse tratamento pode ser cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou uma combinação deles. Também chamada de terapêutica primária ou tratamento primário.

Terapia de reposição hormonal. Tratamento hormonal administrado a mulheres na pós-menopausa ou para mulheres que tiveram seus ovários removidos cirurgicamente. Os hormônios são administrados para substituir o estrogênio não produzido pelos ovários.

Terapia fotodinâmica. Tratamento com medicamentos que se tornam ativos quando expostos à luz. Estes medicamentos ativados podem destruir as células cancerígenas.

Terapia genética. Tratamento que altera um gene.

Terapia imunossupressora. Terapia utilizada para diminuir a resposta do sistema imunológico, como medicamentos administrados para prevenir a rejeição de transplantes.

Termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE). Processo no qual o sujeito de pesquisa, voluntariamente, confirma sua vontade de participar em um estudo clínico, após ter sido informado de todos os aspectos que sejam relevantes para sua tomada de decisão. O paciente e o médico do estudo devem assinar e datar este documento antes de realizar qualquer procedimento do estudo.

Teste da função hepática. Exame de sangue para medir os níveis sanguíneos de determinadas substâncias liberadas pelo fígado. Um nível alto ou baixo de determinadas substâncias pode ser um sinal de doença hepática.

Testemunha imparcial. Pessoa independente do estudo, que não pode ser influenciada pelas pessoas envolvidas no estudo, que acompanha o processo de assinatura do TCLE.

Tireoide. Glândula localizada abaixo da caixa vocal, que produz o hormônio da tireoide. A tireoide ajuda a regular o crescimento e o metabolismo.

Tireoidectomia. Cirurgia para remover parte ou totalidade da tireoide.

Tomografia axial computadorizada. É uma técnica de diagnóstico por imagem que utiliza a radiação X para visualizar pequenas fatias de regiões do corpo, por meio da rotação do tubo emissor de raios X ao redor do paciente. O equipamento possui uma mesa de exames onde o paciente fica deitado para a realização do exame. Essa mesa desliza para o interior do equipamento, que é aberto, não gerando a sensação de claustrofobia.

Tomografia computadorizada espiral. Também chamada tomografia helicoidal é uma técnica de diagnóstico por imagem que utiliza a radiação X para visualizar pequenas fatias de regiões do corpo, por meio da rotação do tubo emissor de raios X ao redor do paciente. O equipamento possui uma mesa de exames que avança enquanto os cortes são realizados.

Tomografia por emissão de pósitrons (PET). Mede variações nos processos bioquímicos, quando alterados por uma doença, e que ocorrem antes que os sinais visíveis da mesma estejam presentes em imagens de tomografia computadorizada ou ressonância magnética. O exame PET é uma combinação de medicina nuclear e análise bioquímica, que permite uma visualização da fisiologia humana por detecção eletrônica de radiofármacos emissores de pósitrons de meia-vida curta.

Toque retal. Exame no qual o médico insere um dedo lubrificado no reto para examinar a região em busca de alterações ou anomalias.

Toracoscopia. Técnica cirúrgica utilizada para a realização de biópsia de lesões pulmonares periféricas. Através de um pequeno corte na pele da parede torácica, o cirurgião insere um instrumento especial com uma pequena câmera de vídeo acoplada para auxiliar na observação e no exame do interior do tórax. É um método menos invasivo. As amostras coletadas também são encaminhadas para estudo anatomopatológico que define o diagnóstico.

Toxicidade. É um efeito colateral produzido por uma medicação que é prejudicial para a saúde do sujeito de pesquisa.

Tóxico. Relativo a veneno ou algo prejudicial para o organismo. As substâncias tóxicas geralmente causam efeitos colaterais indesejados.

Transdérmica. Algo aplicado à pele intacta e absorvido por ela.

Transfusão. É o processo de transferência de componentes do sangue ou do sangue e si para a corrente sanguínea.

Transplante. Substituição de tecido por tecido do próprio corpo do indivíduo ou de outra pessoa.

Transplante de células estaminais (ou transplante de células tronco ou transplante de medula óssea). O transplante de medula óssea ou transplante de células estaminais envolve a colheita de células estaminais saudáveis para reabastecer a medula óssea do paciente. As novas células estaminais assumem a produção das células sanguíneas. O transplante pode ser autólogo (com células do próprio paciente), alogênico (com células doadas) ou singênico (com células de um irmão idêntico).

Traqueia. Conduto situado na frente do esôfago, que liga a laringe aos brônquios e serve para a passagem de ar.

Tratamento adjuvante. Diante da constatação de um câncer que pode ser retirado por cirurgia, faz-se uma quimioterapia pós-cirurgia, como tratamento adjuvante, onde o objetivo é tentar prevenir uma recorrência do câncer.

Tratamento com raios X. Um tipo de radioterapia que utiliza radiação de alta energia de raios X para destruir as células cancerígenas e reduzir o tamanho de alguns tumores.

Tratamento de segunda linha. Ou terapia de segunda linha é o tratamento que é dado quando o tratamento inicial (de primeira linha) não funciona ou para de funcionar.

Tratamento de suporte. Cuidados para melhorar a qualidade de vida de pacientes que sofrem de doenças graves ou com risco de morte. O objetivo do tratamento de suporte é prevenir ou tratar os sintomas da doença, os efeitos colaterais do tratamento e problemas psicológicos, sociais e espirituais relacionados com a doença e seu tratamento.

Tratamento padrão. É o tratamento estabelecido como mais eficaz, até então, para um determinado caso.

Tratamento sistêmico. Tratamento com substâncias que são administradas na corrente sanguínea, de modo a afetar todo o corpo.

Trombocitopenia. É a diminuição do número de plaquetas no sangue.

Tumor. Uma massa de tecido anormal que ocorre quando as células se dividem mais do que deveriam ou não morrem quando deveriam. Os tumores podem ser benignos ou malignos (câncer).

Tumor cerebral. Crescimento de células anormais no tecido do cérebro. Os tumores cerebrais podem ser benignos ou malignos.

Tumor de células germinativas. Um tipo de tumor que se inicia nas células que dão origem a espermatozoides ou óvulos. Os tumores de células germinativas podem ocorrer em qualquer lugar do corpo e podem ser benignos ou malignos.

Tumor desmoide. Um tumor no tecido que circunda os músculos, geralmente no abdome. O tumor desmoide raramente se dissemina.

Tumor do tronco cerebral. Tumor na parte do cérebro que se conecta à medula espinhal.

Tumor ósseo. Tumor ósseo primário é o câncer que se forma nas células do osso. Alguns tipos de tumores ósseos são o osteossarcoma, sarcoma de Ewing, histiocitoma fibroso maligno e condrossarcoma.

Tumor primário. Tumor inicial.

Tumor primário oculto. Câncer em que o local do tumor primário não pôde ser encontrado. A maioria das metástases de tumores primários ocultos é encontrada na cabeça e no pescoço.

Tumor sólido. Massa anormal de tecido que, normalmente, não contém cistos ou áreas líquidas, podendo ser benigno ou maligno.

Tumores estromais gastrointestinais. Um tipo de tumor que geralmente se inicia nas células da parede do trato gastrointestinal, podendo ser benigno ou maligno. Também denominado GIST.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive