Tipos de Câncer

Macroglobulinemia de Waldenstrom


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Sobre a Macroglobulinemia de Waldenstrom

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/04/2015 - Data de atualização: 13/11/2017


A macroglobulinemia de Waldenstrom, também conhecida como linfoma linfoplasmocitário, é um tipo de linfoma não Hodgkin, em que as células cancerígenas produzem grandes quantidades da proteína macroglobulina.

A macroglobulinemia de Waldenstrom é um tipo de câncer que começa nas células B. As células cancerosas dos pacientes com macroglobulinemia de Waldenstrom são semelhantes aos do mieloma múltiplo e do linfoma não Hodgkin. O mieloma múltiplo é considerado um câncer das células plasmáticas e o linfoma não Hodgkin dos linfócitos. As células da macroglobulinemia de Waldenstrom têm características de ambas as células e linfócitos e são denominadas linfoplasmocitárias.

As células da macroglobulinemia de Waldenstrom produzem grandes quantidades de um certo tipo de anticorpo (imunoglobulina M, ou IgM), que é conhecido como macroglobulina. Cada proteína produzida pelas células da macroglobulinemia de Waldenstrom é a mesma, ou seja, é uma proteína monoclonal ou apenas uma proteína M. O acúmulo da proteína M no organismo pode levar a muitos dos sintomas da macroglobulinemia de Waldenstrom, incluindo hemorragia, problemas de visão e problemas do sistema nervoso.

As células da macroglobulinemia de Waldenstrom crescem principalmente na medula óssea, onde se aglomeram as células normais que formam os diferentes tipos de células sanguíneas. Isso pode provocar diminuição dos glóbulos vermelhos (anemia), que faz com que as pessoas se sintam cansadas e fracas. Ela também pode causar diminuição dos glóbulos brancos, o que torna difícil o combate às infecções. O número de plaquetas também pode cair, provocando um aumento de sangramentos e hematomas.

As células do linfoma também podem se desenvolver em órgãos, como o fígado e baço, provocando inchaço e consequentemente dores abdominais.

Fonte: American Cancer Society (28/01/2015)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive