Tipos de Câncer

Câncer de Pâncreas

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Sinais e Sintomas do Câncer de Pâncreas

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 26/09/2015 - Data de atualização: 20/08/2019


Ter um ou mais dos sintomas abaixo não significa que você tenha câncer de pâncreas. Muitos desses sintomas são mais susceptíveis de serem provocados por outras condições clínicas. Entretanto, se você tiver algum deles, é importante consultar um médico, para que a causa possa ser diagnosticada e, se necessário, iniciado o tratamento.

Sintomas da icterícia e relacionados

A icterícia é o amarelamento dos olhos e da pele. Um dos primeiros sintomas do câncer de pâncreas é a icterícia, que é causada pelo acúmulo da bilirrubina, uma substância marrom-amarelada escura produzida no fígado. Normalmente, o fígado libera a bile que contém a bilirrubina. A bile atravessa o ducto biliar comum para os intestinos, onde ajuda a quebrar as gorduras, e eventualmente deixa o corpo nas fezes. Quando o ducto biliar comum fica bloqueado, a bile não alcança os intestinos e a quantidade de bilirrubina no corpo se acumula.

Os cânceres que começam na cabeça do pâncreas podem comprimir o ducto biliar, na parte proximal, levando à icterícia. Quando o câncer de pâncreas se dissemina para o fígado, também pode causar icterícia. Mas os cânceres que começam no corpo ou na cauda do pâncreas não pressionam o ducto até que se disseminem pelo pâncreas. A essa altura, o tumor geralmente já se disseminou além do pâncreas.

Existem outros sinais de icterícia, bem como o amarelamento dos olhos e da pele:

  • Urina escura. Às vezes, o primeiro sinal de icterícia é o escurecimento da urina devido a  bilirrubina. Como os níveis de bilirrubina no sangue aumentam, a urina passa a ter coloração marrom.
     
  • Fezes de cor clara ou oleosa. Se o ducto biliar estiver obstruído, as fezes podem ser de cor clara ou acinzentadas. Além disso, se as enzimas biliares e pancreáticas não conseguirem chegar aos intestinos as fezes podem ficar gordurosas e com uma coloração mais clara.
     
  • Coceira na pele. Quando a bilirrubina se acumula na pele, pode provocar coceira, além de tornar a pele amarelada.

O câncer de pâncreas não é a causa mais comum da icterícia. Outras causas, como cálculos biliares, hepatite e outras doenças hepáticas, são muito mais comuns.

  • Dor abdominal ou nas costas. Dor no abdome ou nas costas é comum no câncer de pâncreas, uma vez que o crescimento do tumor pode comprimir os órgãos vizinhos, provocando dor. O câncer também pode se disseminar para os nervos ao redor do pâncreas, o que muitas vezes provoca dores nas costas. Entretanto, o câncer de pâncreas não é a causa mais comum de dor abdominal ou nas costas, outras doenças podem causar o sintoma com mais frequência.
     
  • Perda de peso e falta de apetite. A perda de peso não intencional é muito comum em pacientes com câncer de pâncreas. Esses pacientes têm pouca ou nenhuma apetite.
     
  • Náuseas e vômitos. Se o tumor estiver pressionando o estômago, pode bloqueá-lo parcialmente, dificultando a passagem dos alimentos. Isso pode causar náuseas, vômitos e dores que tendem a piorar após as refeições.
     
  • Aumento da vesícula biliar ou aumento do fígado. Se o câncer bloqueia o ducto biliar, a bile pode se acumular na vesícula biliar, provocando um aumento da mesma. Isto às vezes pode ser palpado pelo médico durante um exame físico, e que solicitará exames de imagem para um diagnóstico mais preciso. Também pode, às vezes, aumentar o fígado (hepatomegalia), principalmente, se a doença se disseminou para esse órgão. O médico pode sentir por palpação durante o exame físico ou o fígado aumentado pode ser visualizado em exames de imagem.
     
  • Coágulos sanguíneos. Às vezes, o primeiro sinal da presença de um câncer de pâncreas é o desenvolvimento de um coágulo de sangue numa veia da perna, denominado trombose venosa profunda. Os sintomas podem incluir dor, inchaço, vermelhidão e calor na perna afetada. Em algumas circunstâncias um coágulo pode ir para os pulmões, dificultando a respiração, o que se denomina embolia pulmonar. Entretanto, ter um coágulo de sangue geralmente não significa ter câncer. A grande maioria dos coágulos de sangue é causada por outras razões.
     
  • Diabetes. Raramente, o câncer de pâncreas causa diabetes porque destrói as células produtoras de insulina. Os sintomas podem incluir sede e fome e aumento da frequência urinária. Mais frequentemente o câncer pode levar a pequenas alterações nos níveis do açúcar que não causam sintomas de diabetes, mas podem ser reconhecidos por exames de sangue específicos.

Fonte: American Cancer Society (11/02/2019)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive