Tipos de Câncer

Doença Trofoblástica Gestacional

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Sinais e Sintomas da Doença Trofoblástica Gestacional

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 17/02/2014 - Data de atualização: 06/11/2017


É importante informar ao seu médico sobre quaisquer sintomas anormais que você apresente durante a gravidez. Ele pode suspeitar de doença trofoblástica gestacional com base em um padrão típico de sinais e sintomas.

Mola Hidatiforme Completa (Gravidez Molar)

A maioria das mulheres com doença trofoblástica gestacional é diagnosticada precocemente devido à realização de exames de sangue e ultrassom no início da gravidez. Os principais sinais e sintomas da gravidez molar são:

  • Sangramento Vaginal. Quase todas as mulheres com gravidez molar completa tem sangramento vaginal irregular durante a gravidez, que ocorre com menos frequência nas molas parciais. Esse sangramento geralmente se inicia no primeiro trimestre. As mulheres com doença trofoblástica gestacional costumam liberar coágulos sanguíneos ou corrimento marrom, o que leva ao diagnóstico de gravidez molar .

  • Anemia. Em casos de hemorragia severa ou prolongada, o corpo de uma mulher não é capaz de substituir os glóbulos vermelhos do sangue tão rápido quanto a perda, o que pode levar a anemia. Os sintomas podem incluir fadiga e falta de ar, especialmente durante a realização de atividade física.

  • Inchaço Abdominal. O útero e o abdome podem aumentar de tamanho mais rapidamente em uma gestação molar completa do que em uma gravidez normal. O alargamento uterino anormal ocorre em cerca de 25% das mulheres com molas completas, e raramente naquelas com molas parciais.

  • Cistos Ovarianos. A gonadotrofina coriônica humana (GCH), um hormônio produzido pelo tumor, pode causar cistos com conteúdo líquido, que são formados nos ovários. Eles ocorrem apenas com níveis muito elevados de GCH, podendo ser grandes o suficientemente para causar inchaço abdominal . Mas, mesmo que eles possam se tornar muito grandes, podem desaparecem espontaneamente cerca de 8 semanas após a gravidez molar ser removida.

  • Vômitos. Muitas mulheres têm náuseas e vómitos durante a gravidez normal. Na doença trofoblástica gestacional, o vômito pode ser mais frequente e mais severo do que o normal

  • Pré-eclâmpsia. A pré-eclâmpsia pode ocorrer como uma complicação de uma gravidez normal (habitualmente no terceiro trimestre). Quando isso ocorre no início da gravidez (como durante o primeiro ou começo do segundo trimestre), pode ser um sinal de uma gravidez molar completa. A pré-eclâmpsia pode apresentar-se com hipertensão arterial, dor de cabeça, reflexos exagerados, inchaço nas mãos ou nos pés e perda de proteínas na urina. Ela afeta um pequeno número de mulheres com molas completas, mas é raro em mulheres com molas parciais.

  • Hipertireoidismo. O hipertireoidismo ocorre em algumas mulheres com gravidez molar completa e apenas em mulheres com níveis sanguíneos elevados de GCH. Os sintomas do hipertireoidismo podem incluir taquicardia,  aumento temperatura da pele, sudorese, intolerância ao calor e tremores leves. Isto ocorre em menos de 10% das mulheres com gravidez molar completa.

Mola Hidatiforme Parcial (Gravidez Molar Parcial)

Os sinais e sintomas da gravidez molar parcial são semelhantes a das molas completas, mas geralmente menos severos, e podem incluir:

  • Sangramento vaginal.
  • Anemia.
  • Inchaço abdominal.
  • Cistos ovarianos.
  • Pré-eclâmpsia (gravidez tóxica).

As molas parciais são frequentemente diagnosticadas após a mulher achar que teve um aborto espontâneo. A gravidez molar é diagnosticada quando se realiza a curetagem do útero e quando os produtos da concepção são analisados sob um microscópio.

Molas Invasivas e Coriocarcinoma

As formas mais invasivas de doença trofoblástica gestacional, às vezes se desenvolvem após uma mola completa ser removida. Elas ocorrem menos comumente após uma gravidez parcial. O coriocarcinoma também pode se desenvolver após uma gravidez normal, gravidez ectópica ou aborto. Os sintomas podem incluir:

  • Sangramento. O sintoma mais comum é o sangramento vaginal. Raramente, o tumor cresce através da parede do útero, o que pode causar uma hemorragia na cavidade abdominal e dor intensa.

  • Infecção. Nos tumores maiores, algumas das células tumorais podem morrer, criando uma área onde as bactérias podem crescer. A infecção pode se desenvolver, podendo causar corrimento vaginal, dor pélvica tipo cólica e febre.

  • Inchaço Abdominal. Similar à gravidez molar, formas mais invasivas de doença trofoblástica gestacional podem expandir o útero, causando aumento do volume abdominal.  A gonadotropina coriónica humana, hormônio produzido pelo tumor pode produzir cistos nos ovários, que podem ser grandes o suficiente para aumentar o tamanho do abdome. 

  • Sintomas Respiratórios. O pulmão é o local mais comum da disseminação da doença trofoblástica gestacional. A disseminação para os pulmões pode causar tosse seca, tosse com expectoração com sangue, dor no peito ou falta de ar.

  • Massa Vaginal. Às vezes, esses tumores podem se espalhar para a vagina, podendo causar sangramento vaginal. O médico também pode observar durante o exame clínico alguma alteração na vagina sugestiva de comprometimento pela doença.

  • Outros Sintomas da Metástase. Os sintomas dependem do local para onde a doença trofoblástica gestacional se espalhou. Em caso de disseminação para o cérebro, os sintomas podem incluir dor de cabeça, vômitos, tonturas, convulsões ou paralisia de um lado do corpo. Se a doença se espalhou para o fígado pode causar dor abdominal e icterícia.

Tumor Trofoblástico de Localização Placentária

Os tumores trofoblásticos da placenta raramente se disseminam. Geralmente eles crescem na parede do útero.

  • Hemorragia. O sintoma mais comum é o sangramento vaginal. Se o tumor cresce através da parede do útero, pode provocar hemorragia no interior da cavidade abdominal e dor abdominal intensa.

  • Inchaço Abdominal. À medida que crescem no interior da parede do útero, esses tumores podem causar o aumento de volume do órgão.

Tumor Trofoblástico Epitelioide

O sintoma mais comum do tumor trofoblástico epitelioide é o sangramento vaginal. Outros sintomas dependerão do local para onde se disseminou. Por exemplo, se a disseminação foi para o pulmão, o paciente pode ter tosse ou falta de ar. Se também se espalhou para o intestino, podem causar dor abdominal, náuseas e vômitos.

Entretanto, muitos destes sinais e sintomas também podem ser causados por outras condições clínicas. Ainda assim, se você apresentar qualquer um desses sintomas é importante consultar seu médico imediatamente para que a causa possa ser diagnosticada e tratada, se necessário.

Fonte: American Cancer Society (09/02/2016)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive