Especial

Qualidade de vida


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Sexo com seu/sua Parceiro/a

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 16/02/2016 - Data de atualização: 16/02/2016


Quando se sentir pronto para tentar, comece lentamente e em privado. Planeje um momento em que não esteja muito cansado e, em caso de dor, quando ela estiver bem controlada. Você pode querer definir o momento para estar descontraído. Por exemplo, pode iluminar a sala com velas ou colocar uma música suave, romântica. Embora você possa se sentir um pouco tímido, fale ao seu/sua parceiro/a, de forma clara e direta, que você gostaria de um tempo para ficarem apenas fisicamente próximos.

Você poderia programar um encontro com esse objetivo. Você pode dizer, "Estou pronto para o sexo novamente, mas gostaria de ir um pouco devagar. Você está a fim de tentar hoje? Não sei até onde vamos chegar, mas acho que pode ser divertido."

É uma boa ideia colocar alguns limites nas primeiras vezes após o tratamento. Uma maneira de começar é com uma sessão especial dedicada a acariciar o corpo do outro. Na primeira vez que você tentar uma sessão de carícias, evite os seios e genitais. O objetivo é relaxar e sentir o prazer sensual. Não é preciso ficar sexualmente excitado. Este tipo de sessão elimina o nervosismo e a pressão.

Ao ser acariciado, o objetivo é ser o centro em sintonia com suas sensações. Não se preocupe com pensamentos ou sensações de sua/seu parceira(o). Quando você está acariciando, aprecie a forma e a textura do corpo de sua/seu parceira(o).

Se ambos se sentirem a vontade durante a primeira sessão de carícias, pode-se adicionar carícias na região genital na próxima vez. Ao longo de algumas sessões, o casal pode lentamente passar mais tempo na região genital até chegar ao orgasmo, seja acariciando, ou através do sexo oral, se ambos se sentem confortáveis.

Converse com sua/seu parceira/o - Muitos casais não falam sobre sexo. Mas, após o tratamento, sua rotina sexual pode precisar mudar. Isto pede uma comunicação clara. Esta não é a hora de deixar o embaraço silenciá-lo. Diga a sua/seu parceira(o), seja com palavras ou guiando-a com a mão, os tipos de carícias que você mais gosta. Se o tratamento provocou problemas de ereção, a penetração pode já não ser possível. Mas, mesmo assim, um casal pode desfrutar de todas as outras partes do sexo. Não desista de tocar e acariciar, só porque um aspecto da sua vida sexual mudou.

Tornando o Sexo mais Confortável

Se você ainda sente um pouco de dor ou se sente fraco, você pode experimentar novas posições. Muitos casais encontram uma posição favorita e raramente tentam outra.

A maneira mais conhecida de fazer sexo é a "posição papai-e-mamãe", com o homem deitado em cima da mulher. Mas, se você estiver se sentindo fraco ou sem fôlego, este tipo de posição pode requerer muito esforço. Você pode se sentir mais confortável se os dois deitam lado a lado, ou de frente para o outro ou com sua/seu parceira(o) com as costas em contato com seu peito. Ou sua/seu parceira(o) por cima.

Não existe uma posição certa para todos. Você e sua/seu parceira(o) precisam descobrir o que é melhor para vocês. Almofadas podem ajudar como apoios. Manter o bom humor pode iluminar seus esforços.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive