Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Bayer Janssen MSD Takeda Astellas UICC Libbs Abbvie Ipsen Sanofi Daiichi Sankyo GSK Avon Nestlé Servier Viatris


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Setembro Verde: a colonoscopia no diagnóstico do câncer de intestino

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 26/09/2022 - Data de atualização: 26/09/2022


A campanha Setembro Verde tem como objetivo orientar a população sobre a prevenção do câncer de cólon e reto. Terceiro tipo mais frequente em homem e o segundo mais frequente em mulher, o câncer colorretal deve fazer 36.360 novas vítimas no Brasil somente neste ano, segundo estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer). São cerca de 15 mil óbitos por ano, que podem ser evitados com a detecção precoce. Uma das maneiras mais eficientes para detectar a doença é colonoscopia.

A colonoscopia, exame endoscópico do cólon e do reto, é indicada para pacientes assintomáticos a partir dos 50 anos. Pacientes com histórico de câncer de intestino na família devem começar a fazer o exame por volta dos 30 anos ou conforme orientação médica.

Pacientes com mais de 50 anos e com antecedentes familiares de câncer de intestino formam um grupo de risco para câncer de cólon e reto. Sangramento intestinal, anormalidades diagnosticadas por outros exames de imagem e esclarecimentos de anemia são outras indicações para a realização do exame. A frequência depende dos sintomas e dos achados, variando em cada caso.

A colonoscopia é um exame que permite ao médico analisar a mucosa (revestimento interno) do intestino grosso e reto. Ela é indicada para identificar pólipos, tumores, inflamações, úlceras e outras alterações do órgão, é considerada um dos principais métodos de rastreamento do câncer do cólon e reto.

De acordo com ela, durante o exame de colonoscopia, também é possível realizar procedimentos como a coleta de biópsia ou mesmo a retirada de pólipos, que são uma alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa. Em um primeiro momento, são pequenos e benignos, mas podem crescer e se tornar malignos.

Por isso, é muito importante retirá-los durante o exame. A colonoscopia também pode ser indicada como um método terapêutico, já que permite a cauterização de vasos sanguíneos que podem estar sangrando.

A colonoscopia é feita com a introdução de um fino tubo através do ânus, geralmente, sob sedação, para um melhor conforto do paciente. Este tubo tem acoplado a si uma câmera para permitir a visualização da mucosa intestinal e, durante o exame, pequenas quantidades de ar são injetadas dentro do intestino para melhorar a visualização. O exame costuma durar entre 20 e 40 minutos. O paciente deve ficar um período em recuperação.

Para que o médico consiga realizar a colonoscopia e visualizar as alterações, é necessário que o cólon esteja completamente limpo, ou seja, sem qualquer resíduo de fezes ou alimentos e, para isto, deve ser feito um preparo especial para o exame, que é indicado pelo médico ou clínica que irá realizá-lo.

A campanha Setembro Verde tem como objetivo orientar a população sobre a prevenção do câncer de cólon e reto. Terceiro tipo mais frequente em homem e o segundo mais frequente em mulher, o câncer colorretal deve fazer 36.360 novas vítimas no Brasil somente neste ano, segundo estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer). São cerca de 15 mil óbitos por ano, que podem ser evitados com a detecção precoce. Uma das maneiras mais eficientes para detectar a doença é colonoscopia.

A colonoscopia, exame endoscópico do cólon e do reto, é indicada para pacientes assintomáticos a partir dos 50 anos. Pacientes com histórico de câncer de intestino na família devem começar a fazer o exame por volta dos 30 anos ou conforme orientação médica.

Pacientes com mais de 50 anos e com antecedentes familiares de câncer de intestino formam um grupo de risco para câncer de cólon e reto. Sangramento intestinal, anormalidades diagnosticadas por outros exames de imagem e esclarecimentos de anemia são outras indicações para a realização do exame. A frequência depende dos sintomas e dos achados, variando em cada caso.

A colonoscopia é um exame que permite ao médico analisar a mucosa (revestimento interno) do intestino grosso e reto. Ela é indicada para identificar pólipos, tumores, inflamações, úlceras e outras alterações do órgão, é considerada um dos principais métodos de rastreamento do câncer do cólon e reto.

De acordo com ela, durante o exame de colonoscopia, também é possível realizar procedimentos como a coleta de biópsia ou mesmo a retirada de pólipos, que são uma alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa. Em um primeiro momento, são pequenos e benignos, mas podem crescer e se tornar malignos.

Por isso, é muito importante retirá-los durante o exame. A colonoscopia também pode ser indicada como um método terapêutico, já que permite a cauterização de vasos sanguíneos que podem estar sangrando.

A colonoscopia é feita com a introdução de um fino tubo através do ânus, geralmente, sob sedação, para um melhor conforto do paciente. Este tubo tem acoplado a si uma câmera para permitir a visualização da mucosa intestinal e, durante o exame, pequenas quantidades de ar são injetadas dentro do intestino para melhorar a visualização. O exame costuma durar entre 20 e 40 minutos. O paciente deve ficar um período em recuperação.

Para que o médico consiga realizar a colonoscopia e visualizar as alterações, é necessário que o cólon esteja completamente limpo, ou seja, sem qualquer resíduo de fezes ou alimentos e, para isto, deve ser feito um preparo especial para o exame, que é indicado pelo médico ou clínica que irá realizá-lo.

Normalmente, o preparo é iniciado pelo menos um dia antes do exame, quando o paciente passa a ter uma dieta de fácil digestão, a base de pão, arroz e massas brancas, líquidos, sucos sem polpa da fruta, peixe e ovos cozidos, iogurte sem frutas ou pedaços. O paciente também deve evitar leite, frutas, frutos secos, verduras, legumes e cereais.

Nas 24 horas que antecedem o exame, é indicada uma dieta líquida, para que não sejam produzidos resíduos no intestino grosso. Importante ressaltar que hoje a colonoscopia não mais compromete o dia a dia do paciente, sendo realizada com conforto e sem efeitos adversos.

Fonte: O Mato Grosso



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive