Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Senado vota na quarta projeto de notificação compulsória de câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/05/2018 - Data de atualização: 15/05/2018


São Paulo, 10 - A Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) pode analisar na quarta-feira, dia 16, o projeto que determina a notificação compulsória de casos de câncer no Brasil. Já aprovada na Câmara desde março, a proposta pretende corrigir distorções na base de dados nacional sobre a doença, de forma a facilitar o direcionamento de investimentos e políticas públicas.

Se for aprovado na próxima semana, o texto, de autoria da deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), segue para o Plenário da Casa. A aprovação do projeto ganhou apoio de entidades e empresas ligadas à oncologia. O grupo de trabalho sem fins lucrativos Go All, que se posicionou favoravelmente ao texto, afirma que a atual base de dados sobre o câncer no Brasil "é irreal, falha e inconsistente, o que resulta em erros no direcionamento de investimentos" por parte do governo.

O grupo é integrado por empresas como Bristol-Myers Squibb e Pfizer, além de entidades como Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), Associação Brasileira de Portadores de Câncer (AMUCC), Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), Instituto Espaço de Vida, Instituto Lado a Lado pela Vida, Instituto Oncoguia e International Myeloma Foundation Latin America.

Ainda segundo a entidade, com base em informações atribuídas ao Ministério da Saúde, é provável que existam entre 800 mil e 900 mil brasileiros passando por tratamento para algum tumor maligno, entre pacientes recém-diagnosticados e reincidentes. Mas a informação oficial disponível mais recente, de 2015, é de apenas 68 mil casos registrados em hospitais pelo Brasil naquele ano, prossegue o grupo.

Fonte: Jornal Estado de Minas

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive