Tipos de Câncer

Leucemia Mielomonocítica Crônica (LMMC)

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Se o Tratamento para Leucemia Mielomonocítica Crônica parar de Responder

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/05/2014 - Data de atualização: 04/10/2017


Se a leucemia mielomonocítica crônica (LMMC) não melhora com o primeiro tratamento é possível que outro tipo de terapia permita que você se sinta melhor e possa viver mais e com qualidade de vida. Mas, quando vários tipos de tratamento já foram realizados e mesmo assim a doença continua evoluindo, é importante pesar os possíveis benefícios limitados de uma nova terapia contra as possíveis desvantagens.

Esta é provavelmente a parte mais difícil de sua batalha contra a LMMC, quando você já passou por muitos tratamentos médicos e nada está respondendo. Seu médico pode lhe oferecer novas opções, mas em algum momento você deverá considerar que o tratamento não é susceptível de melhorar a sua saúde ou mudar seu resultado ou sobrevida.

Se você quiser continuar com o tratamento, você precisa pensar nas chances terapêuticas que oferecem benefícios e os possíveis riscos e efeitos colaterais do tratamento. Não importa o que você decidir fazer, você precisa se sentir bem. Certifique-se de que você está pedindo e recebendo tratamento para quaisquer sintomas que você possa ter, como náuseas ou dor. Este tipo de tratamento é chamado cuidado paliativo.

O cuidado paliativo ajuda a aliviar os sintomas, mas não se espera que cure a leucemia mielomonocítica crônica. Ele pode ser feito junto com o tratamento do câncer, ou pode até mesmo ser o tratamento em si. A diferença é o seu propósito, o principal objetivo dos cuidados paliativos é o de melhorar a qualidade de sua vida, ou ajudá-lo a sentir-se tão bem quanto possível durante o tempo que for possível. Às vezes isso significa utilizar medicamentos para tratar sintomas como dor ou náuseas.

Os cuidados paliativos tratam a pessoa e não a doença, se concentra na qualidade e não na duração da vida. A maior parte do tempo é administrado em casa. A leucemia mielomonocítica crônica pode estar causando problemas que precisam ser gerenciados e um hospice se concentra em seu conforto. Você deve saber que ao obter cuidados paliativos, muitas vezes significa o fim de tratamentos como químio e radioterapia, isso não significa que você não pode ter o tratamento para os problemas causados pela doença ou outras condições de saúde. No hospice o foco está em viver a vida, tanto quanto possível de forma que você esteja bem neste momento tão difícil.

Ficar esperançoso também é importante. Sua esperança para a cura pode não ser tão brilhante, mas ainda há esperança para bons momentos com a família e amigos  tempos cheios de felicidade e significado. Neste momento, fazer uma pausa no seu tratamento contra a leucemia mielomonocítica crônica lhe dará a oportunidade de focar nas coisas mais importantes da sua vida. Agora é a hora de fazer algumas coisas que você sempre quis fazer e parar de fazer as coisas que você não deseja realizar. Embora a leucemia mielomonocítica crônica possa estar além do seu controle, ainda há escolhas que você pode fazer.

Fonte: American Cancer Society (17/02/2016)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive