Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Saiba quais são os sintomas de câncer no cérebro

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 30/05/2019 - Data de atualização: 30/05/2019


O câncer cerebral é o 10º tipo mais frequente da doença, tanto no sexo masculino quanto no feminino. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) estimam o surgimento de cerca de 11 mil casos em 2019. Apesar de não ser a variedade cancerígena com maior incidência, a doença pode ter consequências graves, deixando o paciente totalmente dependente. 

Os principais sintomas de câncer no cérebro são: dor de cabeça, crise convulsiva, alteração na visão, alteração na fala, dormência ou formigamento em um membro (braço ou perna). Dependendo do local em que o tumor aparece, os sintomas podem variar, causando ainda alteração no comportamento e no humor, além de náuseas e vômitos, dificuldade para ficar em pé ou para andar e alteração na coordenação motora.

Segundo a oncologista Francis de Oliveira Alves, da Aliança Instituto de Oncologia, é importante estar atento a possíveis sintomas da doença. “O cérebro é um órgão que está dentro da calota craniana, que é osso. Ou seja, quando o tumor cresce, ele comprime as estruturas próximas, provocando sintomas”, explica a especialista.

O câncer de cérebro pode ser primário ou secundário: quando o câncer é originado das células do cérebro, é primário; quando se origina de células tumorais de outro órgão – comumente, mama, rim ou pulmão – e acontecem as chamadas metástases cerebrais, ele é secundário. Esse é o tipo mais frequente.

O tratamento principal do câncer de cérebro é a cirurgia. Durante a operação, o neurocirurgião precisa retirar o máximo possível da lesão tumoral evitando sequelas. Em alguns casos, os pacientes precisam complementar o tratamento com radioterapia e quimioterapia.

Fonte: Metrópoles

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive