Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

R

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 12/06/2013 - Data de atualização: 16/02/2021


 

Glossário de termos utilizados neste portal:

 

Radiação. Energia liberada na forma de partículas ou ondas eletromagnéticas.

Radiação de alta dose. Radioterapia com altas doses é dirigida com precisão ao tumor para evitar danos ao tecido saudável, pode destruir uma maior quantidade de células cancerígenas em menor tempo. Também chamada radioterapia HDR.

Radiocirurgia. Um tipo de radioterapia utilizada para o tratamento de lesões cerebrais, que permite irradiar o tumor com precisão.

Radiofármaco. Medicamento radiomarcado utilizado para diagnóstico ou tratamento.

Radiologia. Uso de radiação ou outras tecnologias de imagem para diagnóstico.

Radioterapia. Utilização de radiações ionizantes para destruir ou inibir o crescimento das células anormais que formam um tumor. Existem vários tipos de radiação, porém as mais utilizadas são as eletromagnéticas (raios X ou raios gama) e os elétrons (disponíveis em aceleradores lineares de alta energia).

Radioterapia de intensidade modulada (IMRT). Permite a conformação da radiação para o contorno da área-alvo e utiliza múltiplos feixes de radiação angulares e de intensidades não uniformes, possibilitando um tratamento mais concentrado na região do tumor. A IMRT permite isolar perfeitamente a área do tumor a ser tratada, possibilitando a utilização de uma alta dose de radiação no tumor-alvo, com menor efeito sobre as células sadias, além de reduzir a toxicidade do tratamento. Com essa técnica é possível avaliar a distribuição de dose em todo o volume alvo, reduzindo as áreas de alta dose e tornando a distribuição mais homogênea.

Radioterapia sistêmica. Um tipo de radioterapia em que uma substância radioativa, como radioiodo ou um anticorpo monoclonal radiomarcado, é digerida ou injetada no corpo para destruir as células tumorais.

Raios X. Um tipo de radiação de alta energia. Em doses baixas, os raios X são utilizados em exames de imagem para diagnóstico de doenças. Em altas doses são utilizados para tratar o câncer.

Raloxifeno. É um modulador seletivo do receptor de estrógeno com ação agonista no osso e no sistema cardiovascular e com ação antagonista na mama e no útero. É indicado para prevenir e tratar a osteoporose em mulheres pós-menopáusicas. O raloxifeno bloqueia os efeitos do hormônio estrogênio na mama e aumenta a quantidade de cálcio no osso. É um tipo de modulador seletivo do receptor de estrogênio (SERM).

Randomização. É o processo que sorteia aleatoriamente em que grupo de pesquisa cada paciente vai estar. A randomização minimiza as diferenças entre os grupos e distribui pessoas com características particulares entre todos os braços do estudo.

Recaída. Retorno de sinais e sintomas do câncer após um período de melhora.

Receptor de estrogênio. Proteína encontrada no interior das células do tecido reprodutivo feminino, em alguns outros tipos de tecido e em algumas células cancerígenas. O estrogênio se liga aos receptores no interior das células e podem causar o crescimento delas.

Receptor de estrogênio negativo. Descreve as células que não possuem uma proteína à qual o estrogênio se ligará. As células cancerígenas não receptoras de estrogênio não necessitam desse hormônio para crescer e, normalmente, não param de crescer quando tratadas com bloqueadores de estrogênio.

Receptor de estrogênio positivo. Descreve células que têm uma proteína à qual o hormônio estrogênio se liga. As células cancerígenas receptoras de estrogênio necessitam de estrogênio para crescerem, e podem parar de crescer quando tratadas com bloqueadores de estrogênio.

Receptor de progesterona. Uma proteína encontrada no interior das células do sistema reprodutor feminino, em alguns outros tipos de tecido e algumas células cancerígenas.

Recidiva. Reaparecimento de uma doença ou sintoma após um período de tempo durante o qual não foi detectado. O câncer pode voltar para o mesmo lugar onde se originou ou para outro lugar do corpo.

Recidiva local. Câncer que retorna ao mesmo local de origem, geralmente após um período de tempo durante o qual a doença não pôde ser detectada.

Reconstrução mamária. Cirurgia para reconstruir a forma da mama após a mastectomia.

Recrutamento. É o processo de selecionar pacientes para o protocolo de pesquisa. Considera-se recrutamento completo quando o número de pacientes atingiu o número planejado. A partir daí, o estudo se encerra para novos pacientes.

Redução do tumor. Remoção cirúrgica de tanto quanto possível do tumor. A citorredução do tumor pode aumentar a probabilidade de que a quimioterapia ou a radioterapia destruirá todas as células tumorais. Também pode ser realizada para aliviar os sintomas ou ajudar o paciente a viver mais tempo.

Regeneração. É a capacidade dos tecidos ou órgãos se renovarem após sofrerem danos físicos.

Regime de condicionamento. Tratamentos usados para preparar um paciente para o transplante de células estaminais, podendo incluir quimioterapia, anticorpo monoclonal e radioterapia. Ele ajuda a criar espaço na medula óssea do paciente para novas células estaminais, ajuda a prevenir o corpo do paciente da rejeição das células transplantadas e ajuda a destruir todas as células cancerígenas do organismo.

Regime. Um plano de tratamento que especifica a dose, programação e tempo de duração.

Regional. Descreve a área do corpo em torno do tumor.

Regressão. Diminuição no tamanho do tumor ou da extensão da doença no corpo.

Remissão. Quando os sinais e sintomas do câncer desaparecem, a doença é descrita como em remissão. Ela pode ser temporária ou permanente.

Remissão completa. Desaparecimento de todos os sinais da doença em resposta ao tratamento. Isso nem sempre significa que o câncer foi curado.

Remissão parcial. Diminuição do tamanho de um tumor ou da extensão da doença no corpo, em resposta ao tratamento.

Reprodução assistida. Inclui as técnicas utilizadas no tratamento da infertilidade conjugal para obtenção de uma gravidez sem relação sexual.

Resistência aos medicamentos. Quando a células cancerosas, vírus ou bactérias não respondem a um determinado medicamento utilizado. As células, vírus ou bactérias podem ser resistentes ao medicamento já no início do tratamento ou podem tornar-se resistentes após um determinado tempo de uso de certo medicamento.

Resposta. Uma significante diminuição no tamanho do tumor como resultado do tratamento.

Resposta completa. O câncer pode não ser mais detectável após o tratamento. O desaparecimento de todos os sinais de câncer em resposta ao tratamento, no entanto, nem sempre significa que o câncer foi curado.

Resposta parcial. Diminuição do tamanho de um tumor ou da extensão da doença no corpo, em resposta ao tratamento.

Ressecção. Processo que utiliza a cirurgia para remover parte ou totalidade de um tecido ou de um órgão.

Ressonância magnética. A ressonância magnética é um método de diagnóstico por imagem, que utiliza ondas eletromagnéticas. O exame é bastante simples, sem o uso de radiação, não provocando efeitos colaterais ou prejudiciais à saúde.

Ressonância magnética funcional. Procedimento não invasivo utilizado para observar o funcionamento do cérebro ou de outros órgãos por meio da detecção de alterações na composição química, no fluxo sanguíneo ou de ambos.

Resultado. Resultado ou efeito específico que pode ser medido. Exemplos de resultados incluem redução da dor, diminuição do tamanho do tumor e melhora da doença.

Resultado negativo. Resultado de um exame que não mostra a doença ou condição específica, pode ser também devido a falha no exame realizado.

Resultado positivo. Resultado de um exame que revela a presença de uma doença ou condição específica para a qual o exame foi realizado.

Rim. Cada um dos dois órgãos simétricos situados no abdome. Os rins removem os resíduos do sangue (como urina), produzem eritropoetina (substância que estimula a produção de células vermelhas do sangue) e desempenham um papel na regulação da pressão arterial.

Ruptura da barreira hematoencefálica. A barreira hematoencefálica é uma rede de proteção de vasos sanguíneos e de tecidos que protege o cérebro contra substâncias nocivas, mas também pode impedir que os medicamentos anticancerígenos cheguem ao cérebro. Uma vez que a barreira é aberta, os medicamentos anticancerígenos podem ser infundidos no vaso que vai para o cérebro, de forma a tratar tumores cerebrais.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive