Tipos de Câncer

Câncer de Vagina

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Quimioterapia para Câncer de Vagina

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 03/10/2015 - Data de atualização: 18/05/2018


A quimioterapia utiliza medicamentos anticancerígenos para destruir as células tumorais. Por ser um tratamento sistêmico, a quimioterapia atinge não somente as células cancerígenas como também as células sadias do organismo. De forma geral, a quimioterapia é administrada por via venosa, embora alguns quimioterápicos possam ser administrados por via oral ou aplicadas na pele na forma de pomada.

A químio é o principal tratamento para o câncer de vagina avançado. Também pode ser útil para reduzir o tamanho do tumor antes da cirurgia. Quando é realizada antes da cirurgia, pode ser administrada junto com a radioterapia para potencializar o tratamento.

Como o câncer de vagina é raro, não existem muitos estudos para saber qual o medicamento quimioterápico mais eficiente. Muitas vezes, a quimioterapia é similar à utilizada para o câncer de colo do útero. Os medicamentos utilizados incluem:

  • Cisplatina.
  • Carboplatina.
  • Fluorouracil.
  • Paclitaxel.
  • Docetaxel.
  • Irinotecano

Possíveis Efeitos Colaterais


Os quimioterápicos não só atacam as células cancerosas, mas também algumas células normais, o que pode levar a efeitos colaterais. Mas outras células do corpo, como as da medula óssea, revestimento da boca, dos intestinos e os folículos pilosos, também se dividem rapidamente. Estas células são também susceptíveis de serem afetadas pela quimioterapia.

Os efeitos colaterais dependem do tipo de medicamento, da dose administrada e da duração do tratamento. Os efeitos colaterais comuns à maioria das drogas quimioterápicas podem incluir:

  • Perda de cabelo.
  • Feridas na boca.
  • Perda de apetite.
  • Diarreia.
  • Náuseas e vômitos.
  • Alterações no ciclo menstrual.
  • Infecções, devido a diminuição dos glóbulos brancos.
  • Hematomas ou hemorragias, devido a diminuição das plaquetas.
  • Fadiga, devido a diminuição dos glóbulos vermelhos.

Outros efeitos colaterais podem ocorrer dependendo do tipo de medicamento. Por exemplo, a cisplatina pode causar danos nos nervos (neuropatia). Isso pode levar a dormência, formigamento ou até mesmo dor nas mãos e pés.

A maioria dos efeitos colaterais são temporários e desaparecem após o término do tratamento. Converse com seu médico sobre os possíveis efeitos colaterais dos medicamentos que você receberá e como poderão ser gerenciados.

Fonte: American Cancer Society (19/03/2018)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive