Tipos de Câncer

Câncer de Nasofaringe

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Quimioterapia para Câncer de Nasofaringe

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/04/2013 - Data de atualização: 11/12/2018


A quimioterapia utiliza medicamentos anticancerígenos para destruir as células tumorais. Por ser um tratamento sistêmico, a quimioterapia atinge não somente as células cancerígenas senão também as células sadias do organismo. De forma geral, a quimioterapia é administrada por via venosa ou por via oral.

A quimioterapia pode ser realizada em diferentes situações para tratar o câncer de nasofaringe:

  • Quimiorradiação. É muitas vezes realizada em conjunto com a radioterapia como primeiro tratamento para estágios mais avançados da doença.
  • Quimioterapia por indução. Quando é administrada antes da quimiorradiação.
  • Tratamento adjuvante. Quando é administrada após a radioterapia.
  • Tratamento de metástases. Quando é usada para pacientes cuja doença se disseminou para outros órgãos, como pulmões, ossos ou fígado. Ela pode ser administrada sozinha ou em conjunto com a radioterapia.

A quimioterapia é administrada em ciclos, com cada período de tratamento seguido por um período de descanso, para permitir que o corpo possa se recuperar. Cada ciclo de quimioterapia dura em geral algumas semanas.

A cisplatina é o medicamento mais utilizado para tratar o câncer de nasofaringe. É usada como parte da quimiorradiação, mas pode ser combinada com o 5-fluorouracil (5-FU) se administrada após a quimiorradiação ou a radioterapia.

Algumas outras medicações que também podem ser úteis no tratamento do câncer que se disseminou incluem:

  • Carboplatina.
  • Doxorrubicina.
  • Epirrubicina.
  • Paclitaxel.
  • Docetaxel.
  • Gemcitabina.
  • Bleomicina.
  • Metotrexato.

Muitas vezes, combinações de dois ou mais destes medicamentos são utilizados.

Possíveis efeitos colaterais

Os quimioterápicos não só atacam as células cancerosas, mas também danificam algumas células normais, o que pode levar a diversos efeitos colaterais. Esses efeitos dependem do tipo de medicamento utilizado, dose administrada e tempo de tratamento, podendo incluir:

  • Perda de cabelo.
  • Feridas na boca.
  • Perda de apetite.
  • Náuseas e vômitos.
  • Diarreia.
  • Infecções, devido a diminuição dos glóbulos brancos.
  • Hematomas ou hemorragias, devido a diminuição das plaquetas.
  • Fadiga, devido a diminuição dos glóbulos vermelhos.

Certos medicamentos podem apresentar outros efeitos colaterais. Por exemplo, a cisplatina pode causar neuropatia (danos aos nervos), que pode levar a perda de audição ou sensação de dor, queimação ou formigamento; sensibilidade ao frio ou ao calor ou fraqueza nas mãos e pés. Na maioria dos casos, isso melhora após o término do tratamento, mas, às vezes, pode durar mais tempo em algumas pessoas.

Entretanto, a maioria dos efeitos colaterais é temporária e cessam após o término do tratamento. Mas os medicamentos quimioterápicos podem causar alguns efeitos de longa duração ou mesmo de forma permanente. Converse com seu médico sobre as medicações que serão utilizadas e os possíveis efeitos que você possa ter.

Para saber mais, consulte nosso conteúdo sobre Quimioterapia.

Para saber mais sobre alguns dos efeitos colaterais listados aqui e como gerenciá-los, consulte nosso conteúdo Efeitos Colaterais do Tratamento.

Fonte: American Cancer Society (24/09/2018)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive