Núcleo de

Advocacy

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Projeto reduz o prazo para início de tratamento de câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/06/2019 - Data de atualização: 27/06/2019


O que houve?

O senador Reguffe (Sem Partido-DF) apresentou o Projeto de Lei n° 3.740/19, para garantir ao paciente com neoplasia maligna o direito de se submeter ao primeiro tratamento no Sistema Único de Saúde, no prazo de até 45 dias, devendo os tratamentos sequenciais ao primeiro serem realizados em até 30 dias, a partir da prescrição médica, bem como determina a estruturação de uma rede de atenção à saúde das pessoas com essas doenças no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

projeto altera a Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, conhecida como lei dos 60 dias, que dispõe sobre o primeiro tratamento de paciente com neoplasia maligna comprovada e estabelece prazo para seu início. De acordo com o senador, a Lei dos 60 dias, como é popularmente conhecida, representa um verdadeiro marco na assistência e tratamento aos pacientes portadores da neoplasia maligna atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, é chegada a hora de avançarmos mais algumas casas no aperfeiçoamento do sistema público de saúde colocado à disposição da população brasileira, no que tange ao diagnóstico, tratamento e assistência integral aos pacientes com neoplasia maligna.

O senador aponta ainda que o objetivo da alteração no prazo para o início do tratamento é resolver o gargalo da demora excessiva na confirmação diagnóstica de neoplasia maligna, bem como propor medidas para aprimorar a gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), no que se refere à prevenção e controle de neoplasias malignas.

Por fim, outro aprimoramento, que segundo o senador é de importante colaboração encaminhada pelo Instituto Oncoguia, organização sem fins lucrativos, cuja missão é auxiliar o paciente com câncer a ter uma vida melhor, é a introdução, no texto legal, da hipótese de diagnóstico da neoplasia maligna a partir de exames de imagens, como nos casos de câncer de pulmão e de rim. “Nesses casos, o diagnóstico não pode ser feito por exame patológico, mas sim a partir de exames de imagem”, finalizou o senador.


E agora?

O projeto aguarda recebimento de emendas na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) no período de 28/06/2019 ao dia 04/07/2019. Após apreciação na CAE, o projeto seguirá para análise da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) em decisão terminativa, ou seja, se aprovado na CAS e não for apresentado recurso para que a proposta seja apreciada em plenário, o projeto seguirá para análise da Câmara dos Deputados.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive