Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Produtos para cabelo crespo podem causar câncer, diz estudo

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/04/2018 - Data de atualização: 27/04/2018


A maioria dos produtos para cabelos crespos contém substâncias químicas que podem causar diversas doenças, incluindo câncer. De acordo com um estudo publicado recentemente na revista científica Environmental Research, os ingredientes utilizados na produção desses itens, como os parabenos – conservante que imita um hormônio feminino -, e os ftalatos – usado para prolongar a vida útil do produto -, podem causar obesidade, menopausa precoce e até mesmo câncer.

Beleza fatal

Pesquisas feitas anteriormente mostraram que mulheres negras são mais propensas a usar cremes hidratantes e alisantes para tentar atender às normas sociais de beleza. Por causa disso, elas se expõem a produtos perigosos que podem trazer prejuízos para saúde a longo prazo.

De acordo com o novo estudo, realizado pelo Instituto Primavera Silenciosa, quase 80% desses cosméticos para cabelos crespos e/ou cacheados voltados para as mulheres negras são compostos de substâncias químicas ligadas ao câncer, a infertilidade e a obesidade. Além disso, 78% dos relaxantes, usados ​​para alisar permanentemente o cabelo, contêm 45 substâncias químicas desreguladoras de hormônios – entre elas os parabenos -, que geralmente não são listadas em seus rótulos. Os parabenos, usados como conservantes, imitam o estrogênio (hormônio feminino) e podem causar câncer, ganho de peso e redução de massa muscular.

"Este estudo é uma evidência de que produtos capilares são uma fonte importante de produtos químicos tóxicos e que precisamos remover esses riscos para proteger a vida das mulheres negras e evitar danos”, disse Janette Robinson Flint, da organização sem fins lucrativos Black Women for Wellness, ao Daily Mail.

Outra questão apontada pelos pesquisadores é o fato de que 78% de produtos para cabelo, incluindo condicionadores sem enxágue, também contêm ftalatos, adicionados para prolongar a vida útil dos produtos. Pesquisas anteriores revelaram que os ftalatos estão associados ao câncer de mama e de ovário, assim como à menopausa precoce.

No estudo, foram analisados 18 produtos: 11 deles continham químicos proibidos pela regulamentação cosmética da União Europeia devido à associação com câncer e infertilidade feminina. A pesquisa ainda indica que todos os cosméticos contêm pelo menos um químico para produzir fragrância, conhecida como "curvadora de gêneros”, que provocam o crescimento de mamas masculinas.

Loções capilares, estimuladores de raízes e relaxantes estão no topo da lista dos produtos com maior nível dessa substância. "Químicos em produtos para cabelo e beleza em geral não são testados e não são regulamentados”, afirmou Jessica Helm, principal autora do estudo. Por esse motivo, eles levam em suas fórmulas substâncias perigosas.

Melhor rotulagem

Os pesquisadores esperam que os resultados levem a uma clara rotulagem dos ingredientes para que as mulheres negras saibam os riscos que correm ao utilizar esses produtos de beleza. Além disso, eles recomendam que os fabricantes produzam cosméticos mais seguros para evitar que a saúde das mulheres sofra prejuízos.

No entanto, enquanto nenhuma mudança acontece na fórmula e no rótulo, a alternativa é reduzir a exposição a substâncias químicas danosas através do uso de cosméticos livres de parabenos e de fragrâncias. Segundo os cientistas, produtos vegetais ou orgânicos são uma excelente escolha para garantir um cabelo bonito sem danos à saúde.

Fonte: Veja

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive