Tipos de Câncer

Câncer de Pulmão de Não Pequenas Células

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Procedimentos Paliativos para Câncer de Pulmão de Não Pequenas Células

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 14/09/2014 - Data de atualização: 28/05/2019


Os cuidados paliativos visam aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Pessoas com câncer de pulmão muitas vezes se beneficiam de alguns procedimentos para ajudar com problemas provocados ​​pelo câncer. Por exemplo, os pacientes com câncer de pulmão avançado podem apresentar falta de ar. Isso pode ser provocado por uma série de fatores, incluindo derrame pleural ou obstrução de uma via aérea por um tumor. Embora o tratamento com quimioterapia ou outros medicamentos possa ajudar, outros tratamentos também podem ser necessários.

  • Tratamento do derrame pleural. Às vezes o líquido pleural pode acumular-se entre o tórax e os pulmões. Isso é chamado derrame pleural. Podendo comprimir os pulmões e provocar problemas respiratórios.
     
  • Toracocentese. Este procedimento é utilizado em casos de derrame pleural. Geralmente, a agulha é guiada por ultrassom.
     
  • Pleurodese. Neste procedimento é realizado um pequeno corte na pele da parede torácica, para inserção de um dreno que permitirá a retirada do líquido pleural. Após este procedimento um talco ou um medicamento (doxiciclina ou um quimioterápico) é inserido lentamente na cavidade torácica, para evitar a formação de líquido novamente dentro da cavidade pleural. Esse dreno é geralmente deixado no local por alguns dias para drenar qualquer líquido que possa se acumular.
     
  • Colocação de cateter. Esta é outra maneira para controlar o acúmulo de líquido. Uma extremidade do cateter é colocada na caixa torácica através de uma pequena incisão na pele, e a outra extremidade é deixada fora do corpo. Esse procedimento é feito em consultório ou hospital. Uma vez no lugar, o cateter é ligado a um frasco especial a vácuo ou outro dispositivo para permitir que o fluido seja drenado. 
     
  • Tratamento do derrame pericárdico. O câncer de pulmão pode, às vezes, se disseminar para a área ao redor do coração. Isso pode levar ao acúmulo de líquido em volta do coração, no pericárdio o que se denomina derrame pericárdico. O líquido pode pressionar o coração, afetando seu funcionamento.
     
  • Pericardiocentese. Neste procedimento, o líquido é drenado com uma agulha colocada no pericárdio. Isso geralmente é feito usando um ecocardiograma para guiar a agulha.
     
  • Janela pericárdica. Este procedimento pode ser realizado para evitar a formação do líquido. Durante a cirurgia, o pericárdio é removido permitindo que o líquido seja drenado.
     
  • Tratamento para desobstrução das vias aéreas. Se o câncer está crescendo em uma via aérea, ele pode obstruir a mesma e causar complicações, como pneumonia ou falta de ar. O tratamento pode aliviar o bloqueio das vias aéreas.
     
  • Terapia fotodinâmica. A terapia fotodinâmica pode ser utilizada para tratar o câncer de pulmão em estágios iniciais, em casos que ainda a lesão está localizada mais externamente e quando outros tratamentos não estão indicados. Esta técnica também pode ser usada para ajudar a abrir vias aéreas obstruídas por tumores, permitindo que o paciente possa respirar melhor. Nesta técnica, um medicamento ativado pela luz, é injetada na veia do paciente, como o objetivo de captar células cancerosas. Após alguns dias, o fármaco se acumula nas células cancerosas, um broncoscópio é inserido até o local, sob anestesia local ou geral. Uma luz laser especial colocada na extremidade do broncoscópio é dirigida ao tumor, ativando a droga que destrói as células cancerígenas. Estas células mortas são removidas durante a broncoscopia. A terapia fotodinâmica pode causar inflamação na via aérea por alguns dias, provocando falta de ar, tosse com sangue ou muco espesso.
     
  • Laserterapia. Os lasers podem, eventualmente, serem utilizados para tratar câncer de pulmão muito pequenos localizados nas vias aéreas. Também podem ser usados para ajudar a abrir as vias aéreas obstruídas por tumores maiores, ajudando o paciente a respirar melhor. Este tratamento é realizado com o paciente anestesiado. O laser é colocado na extremidade de um broncoscópio, que é inserido pela garganta até um local próximo ao tumor. Quando posicionado, o médico aponta o laser na direção do tumor destruindo-o.
     
  • Colocação do stent. Tumores de pulmão que se desenvolveram em uma via aérea podem, às vezes, provocar dificuldades respiratórias ou outros problemas. Para ajudar a manter a abertura das vias aéreas, um stent pode ser colocado na via aérea. Isso geralmente é feito após outros tratamentos, como terapia fotodinâmica ou laserterapia.

Fonte: American Cancer Society (16/05/2016)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive