Núcleo de

Advocacy

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Perícia especializada é proposta para pacientes com câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 25/09/2019 - Data de atualização: 25/09/2019


O que houve?

A deputada Renata Abreu (PODE-SP) apresentou o Projeto de Lei n° 5.061/19, que permite que o segurado ou beneficiário com Câncer, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – SIDA e/ou doenças degenerativas seja submetido à perícia médica e social do Instituto Nacional do Seguro Social por médico especialista em infectologia.
 
projeto altera os artigos 42, 60 e 101 da Lei n° 8.213/91, que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências, para estabelecer que a concessão de aposentadoria por invalidez dependerá da verificação da condição de incapacidade mediante exame médico-pericial a cargo da Previdência Social, devendo o segurado com Câncer, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – SIDA e/ou doenças degenerativas ser submetido à perícia médica por médico especialista em infectologia.

A proposição também acrescenta parágrafo 12 ao artigo 20 da Lei n° 8.742/93, que dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências, para prever que durante a avaliação da deficiência e do grau de impedimento, composta por avaliação médica e social realizadas por médicos peritos e por assistentes sociais do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, o periciado com câncer, síndrome da imunodeficiência adquirida – SIDA e/ou doenças degenerativas deverá ser submetido à perícia médica por médico especialista em infectologia.

De acordo com a deputada os pacientes com câncer, síndrome da imunodeficiência adquirida – SIDA e/ou doenças degenerativas estão sujeitos permanentemente a complicações infecciosas. “Sendo assim, um médico que não detenha a formação específica em doenças infecciosas não terá a habilidade nem o conhecimento específico para formar um juízo de valor confiável no que se refere à incapacidade laborativa desses pacientes”, argumentou.

E agora?

A proposição aguarda despacho do Presidente da Câmara dos Deputados.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive