Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Pacientes com câncer estão sem atendimento médico há vários meses no Hospital Estadual Heliópolis

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/03/2020 - Data de atualização: 10/03/2020


Pacientes em tratamento contra o câncer estão há vários meses sem acompanhamento médico no Hospital Estadual Heliópolis, no bairro do Sacomã, Zona Sul de SP. Mesmo sendo submetidos a tratamento medicamentoso, eles não sabem se estão tendo alguma evolução no quadro clínico justamente por causa da falta de médicos no hospital.

A denúncia foi feita dona de casa Regiane Costa, que há sete anos trata um câncer de mama em fase de metástase pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas que deixou de receber acompanhamento médico no Hospital Heliópolis há quatro meses.

Para tornar pública a situação, ela gravou um vídeo de desabafo que viralizou nas redes sociais, onde conta que está completamente desassistida, sem acompanhamento de exames e sem acompanhamento de efeitos colaterais das medicações que está sendo submetida.

“Isso é inadmissível, isso é cruel e isso é desumano”, afirma ela no vídeo.

Em outubro do ano passado, a Regiane terminou o tratamento de quimioterapia e começou um novo, a hormonioterapia. Só que, desde então, a dona de casa não conseguiu fazer exames, sequer passar por uma consulta para avaliar os efeitos do tratamento. Moradora do Tremembé, na Zona Norte de São Paulo, ela precisa se deslocar mais de 30 quilômetros até o Hospital Heliópolis para ser atendida e avaliada pelos médicos. Só que essas consultas não acontecem desde outubro.

“É assustador, isso não pode existir. A gente está doente, a gente é um ser vivo, a gente está em busca de viver mais. E aí simplesmente não tem e eu faço o quê?”, questiona a paciente.

O Hospital Estadual de Heliópolis, no bairro do Sacomã, Zona Sul de São Paulo. — Foto: Divulgação/Governo de SP

O mesmo acontece com o José Manoel, de 70 anos. Ele tem um câncer no estômago e começou o tratamento em julho do ano passado. Mas desde dezembro o paciente não consegue passar por consulta médica no hospital.

Fonte: G1

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive