Especial

Qualidade de vida


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Osteopenia e Osteoporose x Menopausa

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/10/2015 - Data de atualização: 05/02/2016


Osteopenia refere-se à perda de densidade óssea. A osteoporose é a perda mais severa de densidade óssea o que enfraquece os ossos. Algum grau de perda óssea ocorre como parte natural do processo de envelhecimento. No entanto, um enfraquecimento significativo dos ossos aumenta o risco de fraturas. A perda de estrogênio na menopausa natural ou cirúrgica pode levar a um aumento de enfraquecimento dos ossos.

A densitometria óssea determina se os ossos de uma paciente estão enfraquecidos ou com densidade normal. A densidade óssea de uma pessoa pode ser categorizada como "normal", "osteopenia" ou "osteoporose," em comparação com outras pessoas da mesma idade e gênero. Recomenda-se a realização de densitometrias ósseas antes da realização da ooforectomia profilática, logo depois a realização da mesma e, em seguida, um acompanhamento semestral ou anual após a menopausa.

Medicamentos hormonais e não hormonais podem reduzir o risco de fraturas devido à perda de densidade óssea. Entretanto, estes medicamentos podem apresentar efeitos colaterais. Alguns, como no caso dos hormônios, podem aumentar o risco de outros tipos de câncer. As mulheres com osteopenia ou osteoporose associada à menopausa devem ser acompanhadas por um endocrinologista ou outro profissional de saúde especializado no controle dos sintomas da menopausa. É importante que cada mulher pondere os potenciais benefícios da reposição hormonal versus o risco de câncer ou outros riscos associados à reposição hormonal.

Exercícios com pesos ou exercícios de resistência podem diminuir o risco de osteoporose em mulheres na pós-menopausa. No entanto, é importante discutir com seu médico antes de iniciar qualquer rotina de exercícios. Vale a pena, também, consultar um fisioterapeuta para assegurar que a rotina de exercícios seja segura e adequada. Especialistas recomendam que as mulheres na pós-menopausa recebam 1.200 mg de cálcio por dia, por meio de dietas ou suplementos alimentares.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive