Especial

Qualidade de vida


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Osteopenia e Osteoporose x Menopausa

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/10/2015 - Data de atualização: 05/02/2016


Osteopenia refere-se à perda de densidade óssea. A osteoporose é a perda mais severa de densidade óssea o que enfraquece os ossos. Algum grau de perda óssea ocorre como parte natural do processo de envelhecimento. No entanto, um enfraquecimento significativo dos ossos aumenta o risco de fraturas. A perda de estrogênio na menopausa natural ou cirúrgica pode levar a um aumento de enfraquecimento dos ossos.

A densitometria óssea determina se os ossos de uma paciente estão enfraquecidos ou com densidade normal. A densidade óssea de uma pessoa pode ser categorizada como "normal", "osteopenia" ou "osteoporose," em comparação com outras pessoas da mesma idade e gênero. Recomenda-se a realização de densitometrias ósseas antes da realização da ooforectomia profilática, logo depois a realização da mesma e, em seguida, um acompanhamento semestral ou anual após a menopausa.

Medicamentos hormonais e não hormonais podem reduzir o risco de fraturas devido à perda de densidade óssea. Entretanto, estes medicamentos podem apresentar efeitos colaterais. Alguns, como no caso dos hormônios, podem aumentar o risco de outros tipos de câncer. As mulheres com osteopenia ou osteoporose associada à menopausa devem ser acompanhadas por um endocrinologista ou outro profissional de saúde especializado no controle dos sintomas da menopausa. É importante que cada mulher pondere os potenciais benefícios da reposição hormonal versus o risco de câncer ou outros riscos associados à reposição hormonal.

Exercícios com pesos ou exercícios de resistência podem diminuir o risco de osteoporose em mulheres na pós-menopausa. No entanto, é importante discutir com seu médico antes de iniciar qualquer rotina de exercícios. Vale a pena, também, consultar um fisioterapeuta para assegurar que a rotina de exercícios seja segura e adequada. Especialistas recomendam que as mulheres na pós-menopausa recebam 1.200 mg de cálcio por dia, por meio de dietas ou suplementos alimentares.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive