Tipos de Câncer

Mieloma Múltiplo

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Opções de Tratamento do Mieloma Múltiplo por Estágio

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/06/2015 - Data de atualização: 14/05/2018


As principais opções de tratamento para o mieloma múltiplo segundo o tipo são:

  • Plasmacitoma solitário

O plasmacitoma solitário é, muitas vezes, tratado com radioterapia. Se o tumor não estiver localizado no osso, pode ser removido com cirurgia. A quimioterapia é indicada se a doença estiver em progressão.

  • Mieloma múltiplo latente

Os pacientes com mieloma latente podem viver anos sem tratamento. Para muitos pacientes, o início precoce do tratamento não aumenta a sobrevida. Estes pacientes são acompanhados clinicamente sem iniciar a quimioterapia ou outros tratamentos para mieloma.

Com base em como as células plasmáticas se parecem sob o microscópio e nos níveis de imunoglobulinas, alguns pacientes com mieloma múltiplo latente apresentam um risco elevado de progressão para mieloma ativo. Um estudo mostrou que tratar esses pacientes com lenalidomida e dexametasona antes de surgirem sintomas ou outras alterações aumenta a sobrevida.

  • Mieloma ativo (Sintomático)

Os pacientes com mieloma ativo ou amiloidose de cadeia leve, muitas vezes, são tratados com medicamentos. Esses medicamentos dependem do estado de saúde geral do paciente, incluindo a função renal, e se está prevista a realização de um transplante de células tronco.

Muitas vezes, uma combinação contendo bortezomib, lenalidomida e dexametasona é utilizada. Combinações contendo bortezomib são especialmente úteis em pacientes com problemas renais e aqueles cujas células do mieloma contém determinadas anormalidades cromossômicas de alto risco.

Outras combinações podem ser consideradas, incluindo carfilzomibe, lenalidomida e dexametasona ou ciclofosfamida, bortezomibe e dexametasona.

O tratamento com bisfosfonatos é frequentemente iniciado junto com a quimioterapia. Se as lesões do osso continuam a causar sintomas, pode ser realizada a radioterapia.

Os pacientes com mieloma múltiplo também recebem tratamentos de suporte, como transfusões para tratar a anemia, e antibióticos e imunoglobulina intravenosa para infecções.

Alguns pacientes recebem tratamentos adicionais após o transplante de células tronco, o que é denominado de tratamento de consolidação e que aumenta a possibilidade de uma resposta completa na qual os sinais e sintomas da doença desaparecem.

Alguns pacientes, mesmo aqueles que não fizeram o transplante de células tronco, podem realizar um tratamento a longo prazo com lenalidomida ou bortezomib, o que é conhecido como tratamento de manutenção, que pode retardar a recidiva da doença, mas pode provocar efeitos colaterais importantes.

Muitas combinações de medicamentos podem ser úteis no tratamento do mieloma. Se um medicamento parar de responder ou a doença recidiva, outras combinações e tratamentos podem ser tentados.

Fonte: American Cancer Society (28/02/2018)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive