Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Oncoguia sugere mudança em PL sobre medicamentos oncológicos

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/11/2021 - Data de atualização: 10/11/2021


O Oncoguia enviou ao deputado federal, Aureo Ribeiro, relator do PL n° 267/19, proposta de alteração de sua redação, para tornar a legislação mais efetiva na prática. O projeto trata sobre a oferta de medicamentos essenciais ao tratamento do paciente oncológico pelas indústrias farmacêuticas e é prioritário para o Oncoguia.

A norma tem como objetivo principal garantir a manutenção da oferta de medicamentos essenciais ao tratamento do paciente oncológico no mercado. Para tanto, cria a obrigação de continuidade da produção e entrega essa responsabilidade inteiramente ao setor privado.

Para nós, apenas obrigar a indústria farmacêutica a continuar a produção não é uma solução efetiva a longo prazo, já que decisões mercadológicas vão continuar sendo feitas e poderão ainda impactar o tratamento de pacientes. Assim, entendemos que há necessidade de envolver o setor público na demanda e por isso sugerimos algumas inserções no texto:

  • Notificação pela indústria da decisão de descontinuação da produção do medicamento oncológico essencial à autoridade sanitária nacional com o mínimo de 1 ano de antecedência. 
  • Elaboração pelo Governo Federal de plano de ação de assistência aos pacientes, para garantir a continuidade do tratamento dos pacientes oncológicos afetados, no caso de descontinuação definitiva.
  • Possibilidade de adiamento por até 2 anos da descontinuação definitiva do medicamento essencial para viabilização das ações previstas no plano definido de assistência aos pacientes. 

Na definição do plano, poderão ser consideradas ações tais como:

  • Instauração de parceria público-privada para a fabricação de alternativa terapêutica.
  • Importação excepcional de medicamento equivalente.
  • Fomento de pesquisas clínicas na área terapêutica.
  • Outros.

O Oncoguia entende a necessidade de se garantir aos pacientes a continuidade de tratamentos oncológicos essenciais. Para tanto, apresentamos as sugestões aqui expostas pensadas cuidadosamente com a intenção de criar mecanismos para que a norma seja efetiva na prática e garanta a não interrupção do tratamento dos pacientes oncológicos através das melhores alternativas terapêuticas disponíveis. 
 
Agora, as sugestões vão ser analisadas pelo relator do projeto, o deputado Aureo, que irá elaborar seu parecer. Com isso, o projeto poderá ser votado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. 

Conteúdo produzido pela equipe do Instituto Oncoguia.
 



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive