Núcleo de

Advocacy

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Oncoguia apoia PL sobre cobertura de quimioterápicos orais

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/06/2020 - Data de atualização: 15/06/2020


O que houve?

O Plenário do Senado Federal aprovou, na quarta-feira (3), o PLS n° 6.330/19, que amplia o acesso a tratamentos antineoplásicos domiciliares de uso oral para usuários de planos de assistência à saúde.

O texto foi aprovado com duas emendas: uma sobre a obrigatoriedade de comprovação de que o paciente ou seu representante legal recebeu as devidas orientações sobre o uso, a conservação e o eventual descarte do medicamento e a outra sobre a definição de prazo máximo de 48 horas, após a prescrição médica, para o início do fornecimento dos medicamentos antineoplásicos. 

De autoria do senador Reguffe, o PLS foi sugerido pelo Instituto Oncoguia como normativo a fim de sanar um problema hoje enfrentado pelos pacientes beneficiários de planos de saúde: a falta de acesso tempestivo aos medicamentos prescritos ao seu tratamento, já registrados na Anvisa. 

O motivo para esta falta de acesso se dá pelo fato da ANS legitimar a cobertura de medicamentos orais para o tratamento do câncer somente após sua incorporação ao rol de cobertura mínima e obrigatória de procedimentos e eventos em saúde, que acontece, ordinariamente, a cada 2 anos.

Tal fato se distingue da cobertura do tratamento quando este se dá pela via endovenosa. Para tanto, basta que o tratamento esteja aprovado pela ANVISA.

O PL do senador Reguffe, já aprovado pelo Plenário do Senado e enviado à Câmara dos Deputados, sana, em certa medida, a discrepância das regras de cobertura para uma mesma patologia. 

Sendo assim, é notória a necessidade de que o regramento legal hoje existente seja revisto à luz da evolução tecnológica e da celeridade administrativa, para que os pacientes beneficiários de planos de saúde não sofram as consequências de um sistema falho.  
 

E agora?

O PLS n° 6.330/19 segue agora para a Câmara dos Deputados, e , posteriormente, caso não hajam alterações, para sanção presidencial.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive