top

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

O câncer me ensinou que eu não devo ter preocupações

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 08/03/2017 - Data de atualização: 08/03/2017


Deixe-me contar para vocês quando não é bom ser positivo.

No começo de 2009, eu recebi uma ligação do meu médico, informando-me que o resultado da minha recente biópsia tinha chegado e tinha dado positivo. Isso não era o que ele e eu esperávamos.

É um momento terrível na sua vida quando você descobre que é positivo para o o câncer. Você fica dominado por inundações de medos e perguntas como: "Eu vou morrer?” A vida fica paralisada.

Meu médico discutiu comigo as possíveis opções de tratamento e outros aspectos práticos. Eu não tenho certeza de que eu realmente ouvi muito do que ele disse depois disso: "Nós temos que esperar até saber qual é o tipo e o estágio do câncer.”  Câncer é uma palavra terrível, especialmente quando é usada para te rotular.

Foi um momento difícil – consultas  com mais médicos, exames e mais exames, oito semanas com 40 sessões de radioterapia e, finalmente, cirurgia. Enfim, depois de sete anos, eu sou considerado livre do câncer. Graças a Deus!

O Evangelho de São Mateus diz: "Por isso vos digo, não se preocupem … Por que estão ansiosos? Não se preocupem com o amanhã; o amanhã cuidará de si mesmo "(Mt 6:25, 28, 34).

É significativo que a palavra inglesa "worry” (preocupar) seja derivada de uma palavra anglo-saxônica, "worien”, que significa "estrangular” ou "sufocar”. É desnecessário dizer que nos preocupamos com coisas, especialmente com aquelas sobre as quais não temos controle. Isso nos sufoca. As pessoas ficam tão ansiosas, preocupando-se com o ontem ou com o amanhã que elas perdem o hoje.

O que eu aprendi durante esses meses preocupantes e ansiosos? Simplesmente: saiba o que você sabe; e o que você não sabe, você não sabe. PONTO FINAL. Atenha-se aos fatos. Não crie catástrofes, inventando seus próprios dragões de medos desconhecidos. E lembre-se: RESPIRE!

Muito rapidamente, saltamos para o escuro covil de catástrofe e medo, presunções e suposições; nós nos sufocamos em nossas preocupações e ansiedades.

No meu livro de "120 Histórias Inspiradoras para Pregar, Ensinar e Falar em Público”, compartilho uma pequena fábula que ilustra este ponto.

Um dia, o Sr. Fatos, o Sr. Fé e o Sr. Sentimentos estavam caminhando sobre um muro. De repente, o Sr. Sentimentos, notável por seu não tão bom equilíbrio, tropeçou e começou a cair do tal muro. Ele estendeu a mão e agarrou Mr. Faith,  puxando-o para baixo. Felizmente, o Sr. Fatos tinha uma boa compreensão da situação e não foi movido facilmente.

O Sr. Fatos foi capaz de ajudar o Sr. Fé a se recuperar, e entre Fatos e Fé, eles puderam ajudar o Sr. Sentimentos a voltar para o muro. Os três continuaram sua jornada ao longo do muro, embora o Sr. Sentimentos estivesse bastante instável o tempo todo.

Então, novamente, saiba o que você sabe; e o que você não sabe, você não sabe. Atenha-se aos fatos.

Fonte: Aleteia

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive