Tipos de Câncer

Câncer de Vesícula Biliar


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Novidades no Tratamento do Câncer de Vesícula Biliar

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 19/06/2013 - Data de atualização: 21/10/2020


Muitas pesquisas sobre câncer de vesícula biliar estão em desenvolvimento em diversos centros médicos no mundo inteiro, promovendo grandes avanços em diagnóstico e tratamentos. Confira alguns deles.

  • Diagnóstico

Como o câncer de vesícula biliar é diagnosticado após retirada cirúrgica do órgão por outras patologias, como cálculos biliares, os médicos estão buscando formas para identificar se os problemas da vesícula biliar são câncer antes de realizar a cirurgia. Por exemplo, pesquisas em andamento estão avaliando a melhor forma de usar os exames de imagem, como ultrassom e tomografia computadorizada, para identificar e diagnosticar com precisão as alterações na vesícula biliar. A identificação de proteínas relacionadas à inflamação da vesícula biliar é outra área de pesquisa. Pesquisas iniciais sugerem que níveis elevados de determinadas proteínas no sangue podem mostrar quais pessoas têm cálculos biliares e quais têm câncer. Isso poderia ser usado como um exame de rastreamento futuramente, entretanto mais pesquisas ainda são necessárias.

  • Radioterapia

Os pesquisadores estão procurando novas maneiras de aumentar a eficácia da radioterapia, bem como a melhor forma de associar seu uso junto com outros tratamento, como cirurgia e quimioterapia. Os pesquisadores também descobriram que administrar determinados medicamentos quimioterápicos junto com a radioterapia (quimioirradiação) potencializam o tratamento.

Os médicos também estão avaliando outras formas de administrar a radioterapia. Por exemplo, alguns pesquisadores estão testando stents radioativos que são colocados dentro dos ductos biliares. Eles podem reduzir o tamanho dos tumores e manter os ductos abertos por mais tempo do que os stents convencionais.

  • Quimioterapia

Em geral, a quimioterapia tem um uso restrito para o câncer de vesícula biliar, mas novos quimioterápicos e combinações desses medicamentos estão em desenvolvimento. Os estudos também estão verificando novas formas de combinar a quimioterapia com outros tratamentos, como cirurgia e radioterapia.

Há muito interesse de pesquisa na combinação da quimioterapia com terapia-alvo.

  • Terapia-alvo

Terapia-alvo é um tipo de tratamento contra o câncer que usa drogas ou outras substâncias para identificar e atacar as células cancerígenas com pouco dano às células normais. Cada tipo de terapia-alvo funciona de uma maneira diferente, mas todas alteram a forma como uma célula cancerígena cresce, se divide, se auto repara, ou como interage com outras células. Muitos desses medicamentos estão sendo testados para uso no tratamento do câncer de vesícula biliar.

O alvo de vários novos medicamentos são os vasos sanguíneos do tumor. Os tumores de vesícula biliar precisam de novos vasos sanguíneos para crescer. O bevacizumabe, erlotinibe e regorafenibe são exemplos de medicamentos que têm como alvo os vasos sanguíneos e estão sendo estudados para seu uso contra o câncer de vesícula biliar.

Outros medicamentos têm alvos diferentes. Por exemplo, EGFR é uma proteína encontrada em grandes quantidades em algumas células cancerígenas que as ajuda a crescer. Medicamentos que tem como alvo a EGFR têm mostrado algum benefício contra vários tipos de câncer. Alguns deles, inclusive o cetuximabe e o panitumumabe estão agora sendo estudados para uso em pacientes com câncer de vesícula biliar, geralmente em combinação com quimioterapia ou outras terapias alvo.

Terapias alvo como inibidores de MEK, como o trametinibe e o selumetinibe, e medicamentos anti-PD1, como o pembrolizumabe, também estão sendo estudados para tratar câncer de vesícula biliar.

Texto originalmente publicado no site da American Cancer Society, em 12/07/2018, livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive