Tipos de Câncer

Mieloma Múltiplo


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Novidades no Tratamento do Mieloma Múltiplo

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/06/2015 - Data de atualização: 14/05/2018


Muitas pesquisas sobre mieloma múltiplo, especialmente na área de tratamento, estão em desenvolvimento em diversos centros médicos no mundo inteiro.

Os pesquisadores descobriram que os tecidos de suporte da medula óssea e as células ósseas produzem fatores de crescimento que aumentam o desenvolvimento das células do mieloma. Por sua vez, as células do mieloma produzem substâncias que provocam alterações nas células ósseas que enfraquecem os ossos. Essas descobertas são úteis para o desenvolvimento de novos medicamentos para bloquear os fatores de crescimento, retardar o desenvolvimento do câncer e reduzir a destruição óssea.

  • Mieloma múltiplo latente

Embora a maioria dos pacientes com mieloma múltiplo latente apresente baixo risco de se tornar mieloma ativo, existem alguns pacientes com características que os tornam mais suscetíveis ao desenvolvimento de mieloma ativo. Uma pesquisa recente mostrou que, tratar esses pacientes de imediato, sem esperar pelos primeiros sintomas da doença, pode retardar o início do mieloma ativo e melhorar a sobrevida.

  • Doença residual mínima

A doença residual mínima é um termo usado quando pequenas quantidades de células cancerígenas de mieloma ainda estão presentes na medula óssea após o tratamento. Os pacientes que não têm células cancerígenas remanescente após o tratamento parecem ter melhores taxas de sobrevida do que aqueles em que restaram pequenas quantidades de células cancerígenas. Existem novas tecnologias em andamento que visam diagnosticar uma célula de mieloma em um milhão de células normais. Também existem estudos em andamento verificando se a eliminação de todas as células cancerígenas do mieloma (sem doença residual mínima) deve ser um objetivo do tratamento.

  • Terapia de células T do receptor antígeno quimérico (CAR)

O sistema imunológico rastreia todas as substâncias normalmente encontradas no corpo. De forma que qualquer nova substância encontrada não reconhecida dispara um alarme fazendo com que o sistema imunológico entre em ação. A terapia de células T do receptor de antígeno quimérico é uma forma promissora de fazer com que as células do sistema imunológico destruam o câncer. As células T são modificadas em laboratório. Estudos recentes mostraram que a terapia com células T CAR com a proteína BCMA é muito promissora, mesmo em pacientes com mieloma já tratados com muitos medicamentos.

Fonte: American Cancer Society (28/02/2018)

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive