Tipos de Câncer

Câncer de Mama


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Novidades no Tratamento do Câncer de Mama

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 04/10/2014 - Data de atualização: 24/07/2020


Muitas pesquisas sobre câncer de mama estão em desenvolvimento em diversos centros médicos no mundo inteiro, promovendo grandes avanços em causas, exames de laboratório tratamentos. Confira alguns deles.

Causas do câncer de mama

Os estudos continuam mostrando fatores e hábitos do estilo de vida que alteram o risco de câncer de mama. A seguir alguns exemplos:

  • Estudos em andamento estão avaliando o efeito dos exercícios, ganho ou perda de peso e dieta no risco de câncer de mama.
  • Continuam os estudos sobre o melhor uso dos exames genéticos para mutações no câncer de mama.
  • Os pesquisadores estão explorando como as variações dos genes podem afetar o risco de câncer de mama. Cada variante do gene tem apenas um efeito modesto no risco, mas quando somados podem potencialmente ter um grande impacto.
  • As possíveis causas ambientais do câncer de mama também têm recebido mais atenção nos últimos anos. Embora grande parte da ciência sobre o assunto ainda está em estágios iniciais, essa é uma área de pesquisa ativa.

Reduzindo o risco do câncer de mama

Os pesquisadores continuam buscando medicamentos para reduzir o risco de câncer de mama, principalmente em mulheres com alto risco.

  • Os medicamentos para hormonioterapia geralmente são usados para tratar o câncer de mama, mas alguns também podem ajudar na prevenção. O tamoxifeno e o raloxifeno são usados há alguns anos na prevenção do câncer de mama. Estudos recentes com os inibidores de aromatase, como exemestano e anastrozol, mostraram que esses medicamentos também são eficazes na prevenção do câncer de mama.
  • Outros ensaios clínicos estão avaliando medicamentos não hormonais para a redução do câncer de mama. Os medicamentos de interesse incluem medicações para diabetes, como metformina, medicações usadas no tratamento de doenças do sangue ou da medula óssea, como o ruxolitinibe e o bexaroteno, um medicamento que trata um tipo específico de linfoma de células T.

Entretanto, esse tipo de pesquisa é demorado. Pode levar alguns anos até que resultados significativos com qualquer um desses compostos estejam disponíveis.

Exames de laboratório

  • Exames para células tumorais circulantes e DNA tumoral circulante

As células tumorais circulantes são células cancerígenas que se separam do tumor e circulam pela corrente sanguínea. O DNA tumoral circulante é o DNA que é liberado na corrente sanguínea quando as células cancerígenas morrem. Os pesquisadores estão investigando exames que medem a quantidade de células tumorais circulantes e DNA tumoral circulante no sangue de mulheres com câncer de mama. Identificar e testar as células tumorais circulantes e o DNA tumoral circulante no sangue às vezes é denominado de biópsia líquida. Esse tipo de biópsia pode ser uma forma mais fácil e menos dispendiosa de avaliar o tumor do que uma biópsia por agulha tradicional, que apresenta riscos como sangramento e infecção.

Alguns estudos mostraram que pacientes com câncer de mama metastático (estágio IV), com alto nível de células tumorais circulantes podem prever um pior prognóstico se comparado às mulheres com um nível mais baixo.

Embora sejam necessários mais estudos antes que as biópsias líquidas possam substituir a biópsia por agulha tradicional, alguns usos potenciais incluem:

  1. Localizar novas mutações genéticas nas células tumorais que possam significar que o tumor se tornou resistente a tratamentos específicos (como inibidores da aromatase).
  2. Determinar se um determinado medicamento responderá em um tumor antes de tentar o tratamento.
  3. Decidir se o tumor está respondendo a um determinado tratamento, observando o declínio no nível das células tumorais circulantes.
  4. Prever se o tumor recidivará em pacientes com câncer de mama estágio inicial.
  • Exames de Imagem

Novas técnicas de imagem estão sendo desenvolvidas para avaliar as alterações mamárias provenientes do câncer de mama:

  1. Cintilomamografia (Imagem molecular da mama).
  2. Mamografia por emissão de pósitrons.
  3. Imagem por impedância elétrica.
  4. Elastografia.
  5. Novos tipos de exames de imagem óptica.

Tratamentos

  • Quimioterapia

A quimioterapia pode ser útil para muitas pacientes com câncer de mama. Mas prever quem se beneficiará mais ou menos ainda está sendo estudado. Às vezes, existem efeitos colaterais significativos (a longo e a curto prazo) da quimioterapia, portanto, ter testes que possam determinar quem realmente precisa da quimioterapia seria útil. Muitos estudos estão sendo feitos para avaliar diferentes exames que possam prever com mais precisão quais pacientes se beneficiariam da quimioterapia e quais poderiam evitá-la.

  • Câncer de mama triplo negativo

Como o câncer de mama triplo negativo não pode ser tratado com hormonioterapia ou terapia alvo, com medicamentos anti HER2, as opções de tratamento são limitadas à quimioterapia. E embora o mama triplo negativo responda bem à quimioterapia inicial, tende a recidivar com mais frequência do que outros cânceres de mama.

Em 2019, a imunoterapia Atezolizumab foi aprovada junto com o medicamento quimioterápico nab-paclitaxel para uso em mulheres com câncer de mama triplo negativo avançado que produz a proteína PD-L1. Outros alvos em potencial para novos medicamentos para câncer de mama foram identificados nos últimos anos. Atualmente, medicamentos baseados nesses alvos, como inibidores de quinase, estão sendo estudadas para o tratamento do câncer de mama triplo-negativo isoladamente ou em combinação com a quimioterapia. Um exemplo é o inibidor da AKT, ipatasertib, que, quando usado com paclitaxel, mostrou resultados promissores no tratamento de mulheres com câncer de mama triplo negativo como tratamento de primeira linha. Outro inibidor da AKT, o capivasertib, também está mostrando resultados promissores quando administrado com paclitaxel.

  • Inibidores do receptor de andrógeno

As células cancerígenas da mama são rotineiramente testadas para os receptores de estrogênio e progesterona para determinar as opções de tratamento. Cerca de 60% das células cancerígenas da mama têm receptores para andrógenos (hormônios masculinos). Estudos iniciais em mulheres com câncer de mama mostram alguma resposta ao usar o antiandrógeno bicalutamida, para tratar o TNBC que tem o receptor de andrógeno. A bicalutamida é um medicamento usado no tratamento do câncer de próstata há muitos anos. Mais estudos sobre o câncer de mama estão em andamento.

  • Terapia de suporte

Existem ensaios que analisam diferentes medicamentos para melhorar a memória e os sintomas cerebrais após a quimioterapia. Outros estudos estão avaliando se determinados medicamentos para o coração, conhecidos como betabloqueadores, podem prevenir os danos cardíacos, às vezes, provocados pelos medicamentos usados frequentemente no tratamento do câncer de mama, como doxorrubicina e trastuzumabe.

  • Participação em um ensaio clínico

Os ensaios clínicos são estudos de pesquisa cuidadosamente controlados, realizados para obter uma visão mais próxima dos novos tratamentos ou procedimentos promissores. Os ensaios clínicos são uma forma de obter um tratamento avançado contra o câncer. Em alguns casos, podem ser a única maneira de obter acesso a tratamentos mais recentes. Também são a melhor maneira para os médicos aprenderem melhores métodos para tratar o câncer. Ainda assim, eles não são indicados para todos as pacientes.

Texto originalmente publicado no site da American Cancer Society, em 18/09/2019, livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive