Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

MS responde Oncoguia sobre Plano de Expansão da Radioterapia

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 11/03/2021 - Data de atualização: 11/03/2021


O que houve?

Em maio de 2012, o Ministério da Saúde criou o Plano de Expansão da Radioterapia no SUS, viabilizando a aquisição e operacionalização de 80 novos equipamentos de radioterapia. Mais de 8 anos se passaram e até então somente 38 soluções foram concluídas, onde somente 29 estão com licença de operação.

Com o objetivo de acompanhar a implementação dessa política pública, o Instituto Oncoguia monitorou durante estes 8 anos o Plano de Expansão da Radioterapia. Tendo em vista que ao final de 2020 os informes institucionais do Ministério da Saúde (MS) deixaram de ser publicados, e, constatando o atraso do término e entrega de várias soluções de radioterapia em todo o país, nosso Núcleo de Advocacy questionou o MS, via Lei de Acesso à Informação, o status atualizado e andamento do plano em todo o país.

Confira a íntegra de nosso questionamento e o retorno do Ministério da Saúde

“Tendo em vista que o Instituto Oncoguia acompanha a implementação do Plano de Expansão da Radioterapia, e que, a última atualização a respeito do status/andamento de conclusão do plano no site do Ministério da Saúde data de Setembro de 2020, gostaríamos de requerer o envio da atualização mais recente do plano com detalhamento sobre o status em que cada obra se encontra e, também, detalhamento quanto às etapas restantes de cada obra, tal como eram apresentados pelo Portal do Ministério da Saúde.”

Em resposta à nossa solicitação, o Ministério da Saúde enviou a apresentação institucional do status do Plano de Expansão da Radioterapia até janeiro de 2021. 

Em resumo, existem hoje 38 soluções concluídas, onde 29 estão com licença de operação e outras 9 aguardam tramitação documental entre os serviços e a CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear).

O plano agora conta com um total de 100 equipamentos, 20 a mais do que os 80 inicialmente previstos em 2012. Ainda de acordo com a apresentação enviada, o prazo final estimado para as obras em andamento é novembro de 2021. No entanto, 11 obras não têm previsão de término, tendo em vista que o contrato foi rescindido e estão aguardando novo processo licitatório. 

As demais soluções previstas para o plano encontram-se nas seguintes etapas:

ENTENDA NOSSO DESAFIO

A radioterapia é um dos principais tratamentos para o câncer. Aproximadamente 60% dos pacientes diagnosticados chegam a realizar radioterapia em algum momento do tratamento. No entanto, a oferta desse tipo de tratamento é uma das mais deficitárias do Sistema Único de Saúde. A garantia de acesso à radioterapia é um dos maiores desafios do país, sobretudo no SUS. 

Segundo o TCU, no Brasil, os serviços de radioterapia atendem somente 66% das necessidades estimadas do SUS. De acordo com o INCA, em 2009 cerca de 90 mil pessoas não tiveram acesso à radioterapia. Veja que grave! Não estamos falando de pessoas na fila, estamos falando de pessoas que simplesmente não conseguiram se tratar.

E para os que conseguem se tratar, o tempo médio de espera entre a data do diagnóstico e o início do tratamento radioterápico é de 113 dias! Esse é um dado levantado pelo TCU em 2011.  Apenas 15% dos pacientes de radioterapia conseguem iniciar seus tratamentos dentro de 30 dias, a partir do diagnóstico (TCU – 2011). 

Com o objetivo de diminuir o problema e ampliar a oferta de serviços radioterápicos no SUS, em 2012, o Ministério da Saúde criou o Plano de Expansão da Radioterapia, que viabilizou a compra, instalação e operacionalização de 80 aparelhos a serem distribuídos por todo o país, sobretudo nas regiões que apresentam maior déficit de serviço radioterápico. 

De acordo com a programação do Ministério da Saúde, divulgada no final de 2015, quinze aparelhos deveriam estar operando até o final do ano de 2016. No entanto, somente um aparelho foi entregue nesse prazo. Até setembro de 2018, somente 8 aparelhos foram entregues e estavam disponíveis para a população. 
Atualmente, existem 38 soluções concluídas, onde 29 estão com licença de operação e outras 9 aguardam tramitação documental entre os serviços e a CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear).

E agora?

Entendemos que a transparência das informações relativas ao plano de expansão da radioterapia contribui de forma efetiva para a sua plena implementação.  

O Oncoguia, ciente da paralisação da publicação dos informes, sugerirá ao MS a retomada da página que continha informações detalhadas sobre o andamento do plano, a fim de acompanhar o status e entrega de serviços em cada localidade contemplada, publicizando as informações aos interessados além de fiscalizar, exercendo assim o controle social, os prazos para entrega do serviço conforme suas respectivas previsões. 

Utilize também as informações aqui apresentadas para se engajar nesta iniciativa e cobrar respostas efetivas das autoridades locais.
 

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive