Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Mortes por câncer nos Estados Unidos caem 27% ao longo de 25 anos

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/01/2019 - Data de atualização: 10/01/2019


Os números de morte por câncer nos Estados Unidos acabam de alcançar uma marca histórica: estão há 25 anos em queda consistente, segundo novo relatório divulgado na tarde desta terça-feira, 8. De acordo com especialistas, a redução do tabagismo e os avanços em diagnóstico e prevenção são os maiores motivos do resultado.

O Brasil ainda está longe de incorporar a tendência positiva - que se repete também entre países europeus. Por aqui, os índices de mortalidade por câncer aumentam desde 1979, quando o Instituto Nacional do Câncer (Inca) passou a registrar os dados anualmente.

Estima-se que os Estados Unidos registrem este ano 1,7 milhão de novos casos de câncer e, pelo menos, 600 mil mortes, conforme a Sociedade Americana do Câncer. A taxa de letalidade por câncer nos EUA crescia anualmente até o início dos anos 1990. Desde então, começou a cair. De 1991 a 2016, a queda registrada foi de 27%.

A principal razão para esta queda é o recuo nos casos fatais de câncer de pulmão. Entre os diversos tipos da doença, este sempre foi o mais letal, sobretudo entre os homens. Mas a taxa de letalidade já caiu quase 50% desde o início dos anos 1990. É um efeito direto da redução do tabagismo, que começou a ganhar força nos anos 1960.

A mesma tendência foi observada nos Estados Unidos para o câncer de próstata, cuja mortalidade caiu 51% entre 1993 e 2016. Entre as mulheres, houve queda na mortalidade pelo câncer de mama - que registrou queda de letalidade de 41% de 1989 a 2016.

"No Brasil, a nossa letalidade não para de crescer", afirmou o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, Sérgio Simon. "Para isso acontecer, é preciso ter rastreamento e detecção precoce dos tumores. Nosso rastreamento é muito pobre."

A exceção, de acordo com Sérgio Simon, é o Estado de São Paulo, onde a cobertura para a mamografia é de 70%. Outra estratégia que tampouco está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) é o acompanhamento de famílias que possuem uma mutação específica que pode favorecer o desenvolvimento de câncer de mama e ovário.

Processo lento
No caso da redução do tabagismo, o Brasil tem uma experiência de sucesso. Os fumantes representavam 27% da população há 15 anos e, agora, são 11%. Esse porcentual é similar ao de países desenvolvidos. Os efeitos sobre as taxas de letalidade de câncer de pulmão, no entanto, ainda demoram.

"Esse resultado só costuma aparecer 20, 30 anos depois", acrescenta Simon. "A redução do tabagismo começou bem antes nos Estados Unidos."

A estimativa para este ano é de que o Brasil registre aproximadamente 400 mil novos casos de câncer e, aproximadamente, 200 mil mortes.

"É natural que países em desenvolvimento reproduzam o padrão dos países desenvolvidos, mas leva tempo", afirma Marceli de Oliveira Santos, da Coordenação de Prevenção e Vigilância do Instituto Nacional do Câncer. "Aqui no Brasil ainda não observamos um declínio da mortalidade; de 1991 para cá vem aumentando, de forma suave, mas aumentando. Eram 78 mortes por milhão e, agora, são 90 mortes por milhão."

Fonte: Terra

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive