Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Mioma no útero é sinal de câncer?

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 17/10/2018 - Data de atualização: 17/10/2018


O mioma no útero é uma queixa muito comum nos consultórios, especialmente entre mulheres de 30 e 50 anos. Geralmente, o sinal de alerta vem com o sangramento exagerado durante a menstruação ou até mesmo fora do período menstrual.

Se o útero estiver comprometido pelos miomas, muitas vezes o mais indicado é retirar o órgão todo. Nos casos menos graves, existem outras opções – medicamentos, cirurgia ou embolização.

O Bem Estar desta terça-feira (16) falou sobre o assunto com o oncologista Fernando Maluf e a ginecologista Ana Lucia Beltrame.

O que é a embolização?

O objetivo é bem simples: cortar o fornecimento de sangue que alimenta o mioma. É como se, num jardim, você parasse de regar as plantas, elas secam e morrem. Com a ajuda de cateteres, os médicos acessam o útero e injetam partículas de gelatina acrílica. Elas vão impedir a passagem de sangue nos vasos dentro do mioma.

O procedimento costuma durar no máximo 1h30 e tem vantagens. Uma delas é o tempo de recuperação. Em até dois dias a pessoa já pode voltar para as atividades normais.

Tipos e tratamentos

O mioma no útero é o tumor benigno mais frequente nas mulheres. Ele pode aparecer em diferentes locais e ter vários tamanhos. Ele pode aparecer dentro da cavidade do útero, na parede do útero ou fora do útero.

O tratamento vai depender do desejo reprodutivo, do local, do tamanho e se há ou não sintomas. Nem todos os miomas devem ser retirados e também não são todos que apresentam sintomas.

Sintomas

  • Dentro do útero: fluxo menstrual aumentado ou sangramento fora do período menstrual e cólica
  • Fora do útero: se for grande, pode pressionar o intestino e a bexiga e causar dor; se for pequeno, não há sintomas
  • Parede do útero: sintomas podem ser iguais ao do mioma dentro do útero

Mioma e anticoncepcional

Alguns anticoncepcionais podem causar o crescimento do mioma. Por isso, é importante consultar um especialista antes de tomar. O anticoncepcional é indicado para mulheres que têm muito sangramento por causa do mioma, mas não quer fazer cirurgia. A pílula age bloqueando a menstruação. O uso do DIU de progesterona também é indicado nestes casos.

Mioma e câncer no ovário

Um dos sintomas do mioma é o inchaço na barriga – mesmo sinal que pode indicar câncer no ovário. Entretanto, o oncologista explica que eles não têm relação e são problemas completamente diferentes.

O câncer de ovário não tem sintomas na fase inicial. Eles só aparecem quando a doença está em estágio avançado. Entre eles estão:

  • Alteração no hábito intestinal (geralmente o intestino fica preso)
  • Fazer xixi com mais frequência
  • Dor e inchaço abdominal
  • Náusea e vômito
  • Sangramento
  • Ganho de peso

Em estágios muito avançados, pode haver também:

  • Falta de ar
  • Dor óssea
  • Pele amarelada

Esse é o câncer ginecológico mais letal, embora seja menos frequente que o câncer de colo de útero e de mama. O mais importante, nestes casos, é o histórico da mulher. Entre os tratamentos do câncer de ovário estão a cirurgia e a quimioterapia.

Fatores de risco: sobrepeso, diabetes, sedentarismo, exposição prolongada ao estrogênio, dieta rica em carboidrato e gordura, histórico familiar e endometriose.

Câncer de ovário e endometriose

Os casos mais graves de endometriose são um fator de risco para o câncer de ovário porque a proliferação das células benignas pode aumentar o risco de mutações, que dão origem a um tumor. Por isso, a cirurgia para a retirada das células do endométrio pode diminuir o risco de câncer.

Fonte: G1

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive