Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Mesmo em baixa quantidade, bacon e carne bovina elevam risco de câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 23/04/2019 - Data de atualização: 23/04/2019


Um estudo do Reino Unido feito a partir de dados de 475 mil pessoas mostrou uma ligação entre o consumo de carne vermelha e de carnes processadas, como bacon e linguiça, e a ocorrência de câncer colorretal (de intestino ou reto).

A pesquisa foi publicada nesta quarta (17) na revista International Journal of Epidemiology.

Foram avaliadas informações de pacientes entre 40 e 69 anos, ao longo de 5,7 anos, em média. Nesse período foram detectados 2.609 casos de câncer colorretal.

A ideia dos cientistas era investigar se o consumo de alguns alimentos poderia ser associado ao surgimento da doença. Nesses casos é difícil falar em causalidade, já que as causas propriamente ditas podem ser múltiplas, inclusive genéticas, mas é possível falar em correlação estatística. A favor do estudo está o grande número de casos, que dá peso à associação.

Quanto maior o consumo de carne vermelha (bovina, ovina e suína, por exemplo) e de carnes processadas (salame, presunto, charque etc), maior a incidência de câncer colorretal.

Varal com fatias de bacon; em excesso, alimento pode ser responsável por maior chance de câncer colorretal - Karime Xavier/Folhapress

Pelas contas dos pesquisadores, um consumo diário de carne vermelha e/ou processada de 76 gramas em comparação com um de 21 gramas está associado a um aumento de 20% na chance de desenvolver câncer colorretal.

A recomendação atual do NHS, serviço de saúde nacional do Reino Unido, sugere um consumo de até 90 gramas de carne vermelha e/ou processada como parte de uma dieta saudável. Os cientistas acreditam, tendo em vista o potencial benefício de uma redução, que essas recomendações antigas passem por revisões. ​

Outros alimentos, como carne de aves, queijos, peixes e leite não apresentam qualquer indício estatístico de ligação com o câncer colorretal. Há alguns estudos que mostram um possível efeito protetor do leite, inclusive.

Curiosamente, a ingestão de frutas e vegetais, ricos em fibras e muito recomendados em diversas dietas, não parece ajudar a prevenir a doença. Já a fibra presente em cereais e no pão integral está ligada a uma menor incidência desse tipo câncer. O quinto dos pacientes que mais consomem fibras dessa fonte tem risco 14% menor de desenvolvê-lo.

Fonte: Folha de S.Paulo

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive