Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Maioria detecta câncer de cabeça e pescoço em estágio avançado

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 02/07/2019 - Data de atualização: 02/07/2019


Seis em cada dez pacientes com câncer de cabeça e pescoço atendidos no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) já foram diagnosticados em estado avançado da doença. Isso significa chances de cura em torno de 40%. A probabilidade de cura em casos de tumores precocemente detectados pode chegar a 90%.

Os números fazem parte de levantamento realizado pelo Icesp, unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e à Faculdade de Medicina da USP. Os tumores considerados de cabeça e pescoço são aqueles localizados na boca, faringe, laringe, glândulas salivares, cavidade nasal e da tireoide.

“O prognóstico dos cânceres de cabeça e pescoço varia conforme seu estadiamento. Nos casos precoces, podemos falar em cura em torno de 70% a 90%. Já nos tumores maiores, com estágio avançado, a sobrevida cai para de 30% a 50%, além de elevar o custo do tratamento – os tumores precoces possuem custo de tratamento 10 vezes menor que os avançados”, afirma o chefe do Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Icesp, Marco Aurélio Kulcsar.

Fatores de risco

O tabagismo e o etilismo são fatores de risco para o surgimento da doença. Estudo recente do Icesp apontou que 80% dos pacientes com esses tipos de tumores atendidos no hospital são ou já foram tabagistas. Quando se trata do etilismo (consumo excessivo de álcool), os números representam 50% dos pacientes.

Reconhecer o tumor precocemente é o principal fator de cura. Os sinais mais comuns de alerta são manchas avermelhadas ou brancas na boca, aftas persistentes, lesões nos lábios que não cicatrizam, rouquidão que não melhora, nódulos no pescoço, dificuldade para engolir e mudança na voz. “É importante procurar uma avaliação médica se qualquer sinal de alerta persistir por mais de 15 dias. Quanto antes o paciente for diagnosticado, maiores são as chances de cura e qualidade de vida após o tratamento”, afirma Kulcsar.

Ações de conscientização

Durante o mês de julho, o Icesp promove ações de conscientização sobre o câncer de cabeça e pescoço. No dia 11, o Coral Amigos da Voz fará uma apresentação na Casa das Rosas (Av. Paulista, 37), às 11h30. O coral é composto por pacientes que reaprenderam a se comunicar após passar por uma cirurgia de retirada da laringe, por conta de câncer na região das cordas vocais.

Os pacientes que circularem pelo hall de entrada do Icesp no dia 19 receberão orientações sobre prevenção da doença em dois horários, das 10h às 11h e das 14h às 15h. No dia 24, a partir das 14h, será realizada uma “blitz” no Pátio Metrô São Bento, no centro de São Paulo. Em todas as ações, o público poderá realizar, gratuitamente, uma avaliação da saúde bucal.

Fonte: Portal do Governo do Estado de São Paulo

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive