Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Linfoma não Hodgkin: entenda o câncer de Caike Luna

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 04/10/2021 - Data de atualização: 04/10/2021


O ator Caike Luna, conhecido pelo personagem Cleitom, do programa "Zorra Total", morreu na manhã deste domingo (3). A morte do artista foi confirmada pela humorista Katiuscia Canoro.

Caike tinha 42 anos e, em abril, comunicou aos fãs que estava tratando um linfoma não Hodgkin. "Daqui a pouco colocarei um cateter para iniciar um tratamento contra um linfoma não Hodgkin que me habitava enquanto eu iludia. Vida real. Qualquer recado, me mandem por Jesus, o Cristo..." escreveu Caike em sua conta no Instagram.

A seguir, entenda o que é o linfoma não Hodgkin, quais são os tratamentos possíveis e os principais sintomas.

O que é o linfoma não Hodgkin?

De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o linfoma não Hodgkin (LNH) é um tipo de câncer que tem origem nas células do sistema linfático e que se espalha de maneira não ordenada. Existem mais de 20 tipos diferentes de linfomas não Hodgkin.

O sistema linfático faz parte do sistema imunológico, que ajuda o corpo a combater doenças. E, como o tecido linfático é encontrado em todo o corpo, o linfoma pode começar em qualquer lugar, dificultando o diagnóstico. O linfoma pode atingir crianças, adolescentes e adultos, mas é mais comum em pessoas mais velhas.

Quais são os principais sintomas?

O principal sintoma do linfoma não Hodgkin é o aumento dos gânglios linfáticos, que se manifesta pelo surgimento de caroços em regiões como o pescoço, virilha e axila. Outros sintomas podem incluir febre, suor noturno, tosse, coceira na pele e perda de peso.
Veja também

Quais são as opções de tratamento?

Entre as opções de tratamento, estão a quimioterapia, a imunoterapia, a radioterapia e o transplante de medula óssea. Segundo informações da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), as chances de cura são, em média, de 60% a 70%. Caike Luna estava passando por sessões de quimioterpia.

Quais as diferenças entre o linfoma de Hodgkin e o linfoma não Hodgkin?

Apesar de terem sintomas parecidos, os linfomas de Hodgkin e não-Hodgkin são diferentes. De acordo com o Hospital Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, a diferença entre eles está na característica das células encontradas no tumor. Somente após biópsia é possível fazer a diferenciação. O linfoma de Hodgkin apresenta alto índice de cura com quimioterapia de primeira linha. Isso quer dizer que, logo no primeiro tipo de tratamento que o paciente faz, ele tem boas chances de apresentar bons resultados.

Famosos com linfoma não Hodgkin
Outros famosos, como os atores Edson Celulari e Reynaldo Gianecchini, a ex-presidente Dilma Rousseff e a autora de telenovelas Glória Perez também tiveram a doença diagnosticada.

Fonte: G1



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive