Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

L

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 12/06/2013 - Data de atualização: 16/02/2021


Glossário de termos utilizados neste portal:

 

Laparoscopia. Procedimento que utiliza um laparoscópio, inserido através da parede abdominal, para examinar o interior do abdome. O laparoscópio é um tubo com uma luz e uma lente na extremidade para visualização. Pode também ter uma ferramenta para remover tecido suspeito para análise anatomopatológica.

Laringectomia. Cirurgia para remover a totalidade ou parte da laringe.

Laudo anatomopatológico. Descrição das células e tecidos feita por um patologista com base em evidências microscópicas. É utilizado para fazer o diagnóstico de uma doença.

LDH. Grupo de enzimas encontradas no sangue e outros tecidos do corpo envolvidos na produção de energia nas células. Um aumento da quantidade de lactato desidrogenase no sangue pode ser um sinal de dano tecidual e alguns tipos de câncer ou outras doenças.

Leiomioma. Tumor benigno de músculo liso, geralmente no útero ou no trato gastrointestinal. Também chamado de mioma.

Leiomiossarcoma. Tumor maligno de células do músculo liso que pode surgir em praticamente qualquer parte do corpo, mas é mais comum no útero, abdome ou pelve.

Lesão. Área de tecido anormal que pode ser tanto benigna como maligna.

Leucemia. Doença maligna dos glóbulos brancos (leucócitos). Tem como principal característica o acúmulo de células jovens anormais na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais.

Leucemia de Burkitt. Um tipo raro de leucemia de crescimento rápido, em que muitos glóbulos brancos denominados linfócitos B se formam no sangue e na medula óssea. Pode começar nos gânglios linfáticos, como o linfoma de Burkitt, e depois se disseminar para o sangue e medula óssea, ou pode começar no sangue e na medula óssea, sem o envolvimento dos gânglios linfáticos. Tanto a leucemia de Burkitt como o linfoma de Burkitt têm sido associados a infecções pelo vírus Epstein-Barr.

Leucemia de células T adulta. Um tipo de linfoma não Hodgkin de célula T de crescimento rápido causado pelo vírus humano da leucemia de células tipo T1 (HTLV-1). É sinalizado por lesões ósseas e de pele, níveis elevados de cálcio e gânglios linfáticos aumentados.

Leucemia de células T humanas do vírus tipo 1. Um tipo de vírus que infecta as células T, podendo causar leucemia e linfoma. O HTLV-1 é transmitido pelo compartilhamento de seringas ou agulhas, através de transfusões de sangue ou contato sexual e de mãe para filho durante o parto ou a amamentação.

Leucemia linfoblástica aguda (LLA) de células B. Um tipo de leucemia na qual muitos linfoblastos de células B são encontrados no sangue e na medula óssea. É o tipo mais comum de leucemia linfoblástica aguda. Também chamada de leucemia linfoblástica precursora B e leucemia linfocítica aguda de células B. Também∫em pode ser chamada leucemia linfocítica aguda (LLA) de células B.

Leucemia linfoblástica crônica (LLC). Um tipo de leucemia de crescimento lento, em que muitos linfoblastos são encontrados no sangue e na medula óssea.

Leucemia linfoide aguda (LLA). A leucemia linfoide aguda ou leucemia linfoblástica aguda é um câncer dos leucócitos caracterizado pela produção maligna de linfócitos imaturos (linfoblastos) na medula óssea.

Leucemia linfoide crônica (LLC). A leucemia linfoide crônica ou leucemia linfoblástica crônica é um câncer dos linfócitos, e o tipo mais comum de leucemia em adultos, com idade superior a 50 anos. Raramente ocorre antes dos 40 anos.

Leucemia mielogênica aguda (LMA). Uma doença rapidamente progressiva, em que muitos glóbulos brancos imaturos (não linfócitos) são encontrados no sangue e na medula óssea.

Leucemia mielogênica crônica blástica (LMC). Fase da leucemia mieloide crônica em que 20% ou mais das células no sangue ou na medula óssea são células blásticas. Quando o cansaço, febre e aumento do baço ocorrem durante a fase blástica é denominada crise blástica.

Leucemia mieloide aguda (LMA). A leucemia mieloide aguda ou leucemia mieloblástica aguda é um câncer que se inicia na medula óssea e por sua vez, invade o sangue periférico. A LMA se caracteriza pela rápida proliferação de células anormais e malignas (blastos) que não amadurecem, não desempenham sua função e ainda se acumulam na medula óssea, interferindo na produção normal de outras células sanguíneas.

Leucemia mieloide crônica (LMC). A leucemia mieloide crônica ou leucemia mieloblástica crônica é um câncer que se inicia na medula óssea e invade o sangue periférico. É uma neoplasia adquirida envolvendo o DNA na medula óssea, portanto não presente no momento do nascimento.

Leucemia não linfocítica aguda. Uma doença rapidamente progressiva onde glóbulos brancos imaturos (não linfócitos) são encontrados no sangue e na medula óssea.

Leucemia promielocítica aguda (LPA). Um tipo de leucemia mieloide aguda de crescimento rápido, em que existem muitas células imaturas no sangue e na medula óssea. É normalmente sinalizada pela troca de posição dos cromossomos 15 e 17. Também chamada de leucemia promielocítica aguda e leucemia promielocítica.

Leucemia/linfoma de células T adulta. Um tipo de linfoma não Hodgkin de célula T de crescimento rápido causado pelo vírus humano leucemia de células tipo T1 (HTLV-1). É sinalizado por lesões ósseas e de pele, níveis elevados de cálcio e gânglios linfáticos aumentados.

Leucócitos. Os leucócitos ou glóbulos brancos são células presentes no sangue e produzidas na medula óssea e no tecido linfático. Os glóbulos brancos incluem linfócitos, neutrófilos, eosinófilos, macrófagos e mastócitos. Estas células são produzidas pela medula óssea e ajudam o corpo a combater as infecções e outras doenças.

Leucopenia. Diminuição dos leucócitos (glóbulos brancos) no sangue.

Leucoplasia. É uma mancha ou placa de aspecto esbranquiçado localizada na superfície da pele ou mucosa, não removível por raspagem, e que não pode ser caracterizada clinicamente como outro tipo de doença. Pode se tornar cancerosa. O tabaco e o álcool podem aumentar o risco de leucoplasia na boca.

Linfadenectomia pélvica. Cirurgia para retirar linfonodos na pelve para exame anatomopatológico e avaliação da presença ou não do câncer.

Linfedema. O linfedema é um tipo de contenção de líquidos causada pelo acúmulo anormal de proteínas e fluidos nos tecidos. Costuma ser resultante de uma falha de drenagem no sistema linfático, que vem a ser manifestada por inchaço, principalmente nas extremidades dos membros superiores e inferiores.

Linfócito. É um tipo de leucócito (glóbulo branco). Os linfócitos têm várias funções no sistema imunológico, incluindo a produção de anticorpos e outras substâncias que combatem as infecções e outras doenças.

Linfócito B. Glóbulo branco produzido na medula óssea. Como parte do sistema imunológico, os linfócitos B produzem anticorpos e ajudam no combate a infecções. Também chamada célula B.

Linfócito T. Um tipo de célula do sistema imunológico que pode atacar as células estranhas, as células cancerígenas e as células infectadas por vírus. Os linfócitos T também podem ajudar a controlar as respostas do sistema imunológico. Um linfócito T é um tipo de glóbulo branco.

Linfoma de Burkitt. Um tipo de linfoma não Hodgkin de célula B de crescimento rápido, que ocorre mais frequentemente em crianças e adolescentes.

Linfoma de células B. Um tipo de câncer que se forma nas células B (tipo de célula do sistema imunológico). Os linfomas de células B geralmente ocorrem em adultos e pode ser indolente (de crescimento lento) ou agressivo (crescimento rápido). Existem muitos tipos de linfomas de células B, e o prognóstico e o tratamento dependerão do tipo e do estadiamento da doença.

Linfoma de células T adulta. Um tipo de linfoma não Hodgkin de célula T de crescimento rápido causado pelo Vírus linfotrópico para células T humanas tipo 1 (HTLV-1). É sinalizado por lesões ósseas e de pele, níveis elevados de cálcio e gânglios linfáticos aumentados.

Linfoma difuso de grandes células B. Um tipo de linfoma não Hodgkin de células B de crescimento rápido, que é o tipo mais comum de linfoma não Hodgkin e marcado por um crescimento acelerado de tumores nos linfonodos, baço, fígado, medula óssea e outros órgãos. Outros sintomas incluem febre, suores noturnos e perda de peso. Existem vários subtipos de linfoma difuso de grandes células B.

Linfoma. Câncer que começa nas células do sistema imune. Existem duas categorias básicas de linfomas: linfoma de Hodgkin e linfoma não Hodgkin.

Linfoma de Hodgkin. Linfoma de Hodgkin ou doença de Hodgkin é um câncer do sistema imunológico marcado pela presença de células de Reed-Sternberg. Os dois tipos principais de doença de Hodgkin são o linfoma de Hodgkin clássico e linfoma de Hodgkin com linfócito nodular predominante. Os sintomas incluem aumento indolor dos linfonodos, febre, perda de peso, fadiga ou sudorese noturna.

Linfoma não Hodgkin. Linfoma não Hodgkin é um câncer do sistema linfático no qual as células linfáticas começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e formando tumores. O linfoma não Hodgkin pode ter crescimento lento, ou ser agressivo e de crescimento rápido. O linfoma de células B é o tipo mais comum e o linfoma de células T o menos frequente.

Linfonodo. Os linfonodos são estruturas que fazem parte do sistema linfoide periférico. Eles são as células responsáveis pela resposta imunológica do corpo.

Linfonodo axilar positivo. Linfonodo da região da axila para o qual o câncer se disseminou.

Linfonodo regional. Linfonodo que drena a linfa da região em torno do tumor.

Linfonodo sentinela. O primeiro linfonodo para o qual o câncer provavelmente se espalhou. Quando a doença se dissemina, as células cancerígenas podem aparecer primeiro no linfonodo sentinela antes de se disseminar para outros linfonodos.

Linfonodos axilares. Linfonodos da região da axila que drenam os canais linfáticos da mama.

Linfonodos negativos. Câncer que não se disseminou para os linfonodos.

Linha de base. Uma medida que representa uma condição de início e é usada para comparação ao longo do tempo. Por exemplo, o tamanho de um tumor é medido antes e depois para verificar o efeito do tratamento no em seu tamanho.

Líquido cefalorraquidiano (LCR). Protege e preenche os espaços vazios do cérebro e da medula espinhal entre as duas meninges. O LCR contém basicamente água com proteína, açúcar (glicose), glóbulos brancos e hormônios. Este líquido é produzido pelo plexo coroide, que está localizado nos ventrículos. Também conhecido como líquor.

Líquido linfático. Líquido claro que corre pelo sistema linfático e transporta células que ajudam no combate a infecções e outras doenças.

Lóbulo. Parte mais ou menos bem definida de um órgão.

Lumpectomia. Cirurgia para retirar o tumor e uma pequena quantidade de tecido normal em torno dele.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive