Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Isolamento na pandemia prejudicou diagnóstico de câncer de mama, dizem especialistas

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 31/05/2021 - Data de atualização: 31/05/2021


A discussão sobre o tratamento do câncer de mama feita por três comissões da Câmara dos Deputados nesta sexta-feira (28), Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher, mostrou que os avanços para a detecção precoce da doença passam principalmente pela diminuição do tempo para cumprir a chamada “linha de cuidado”. A audiência pública foi promovida pelas Comissões de Seguridade Social e Família; dos Direitos da Pessoa Idosa; e dos Direitos da Mulher.

Segundo os especialistas, o isolamento imposto pela pandemia de Covid-19 prejudicou a notificação dos casos de câncer de mama. Médica da ONG Oncoguia, Luciana Holtz relatou queda de 50% no número de mamografias de rastreamento entre 2019 e 2020; e 39% de diminuição na quantidade de biópsias. Para os convidados do debate, o tempo é o maior inimigo do tratamento.

Membro da Sociedade Brasileira de Oncologia, Max Manno afirmou que é preciso diminuir o que ele chamou de “jornada”, que se segue a partir da identificação de alguma anormalidade em uma mamografia.

“Depois disso, a paciente tem que marcar uma consulta com um mastologista. Aí ela vai à consulta, às vezes demora um pouco a marcação da consulta. Aí o mastologista vai pedir exames complementares, ultrassom, uma ressonância, vai pedir a biópsia. Aí o paciente vai marcar a biópsia. Depois tem o resultado do anatomopatológico, dependendo do local isso pode demorar até um mês ou dois. Aí o paciente volta ao médico, aí pede os exames do estadiamento da doença, aí o paciente é referido para um centro terciário, isso também leva um tempo”, enumerou.

Os debatedores lembraram da importância da lei aprovada pelo Congresso que limita em 30 dias o tempo de espera por um diagnóstico de câncer de mama e em 60 dias o período para iniciar o tratamento após o diagnóstico (Lei 1.3896/19).

A deputada Flavia Morais (PDT-GO), uma das autoras de requerimentos para a realização do debate, lamentou que ainda haja demora em algumas etapas do tratamento. “O Sistema Único de Saúde (SUS) é um avanço, mas o grande problema, o grande desafio é realmente superar esse tempo de espera que, para muitos procedimentos, ainda é muito grande”, disse.

Segundo os participantes da audiência, a demora faz com que muitas mulheres cheguem ao serviço de saúde com o câncer já em estágio avançado. Também foi salientada a diferença entre os sistemas público e privado em termos de acesso e opções de tratamento.

Integrante do Instituto Vencer o Câncer, o oncologista Manoel Souza deu o exemplo da quimioterapia oral, indicada em muitos casos, mas que não está disponível para todas as mulheres. “As pacientes demoram para fazer o diagnóstico, para chegar ao oncologista, para fazer radioterapia e, além disso, quando chegam para fazer o tratamento, elas ainda não têm as melhores opções para o seu tratamento”, relatou.

Diretora do Departamento de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Maíra Batista ressaltou que, em dezembro de 2020, uma portaria liberou recursos para o reajuste da tabela de procedimentos. Outras estratégias para a detecção de câncer de mama e de colo de útero neste período de pandemia, segundo ela, foram a reorganização da rede de atenção e oficinas de qualificação dos gestores para reprogramar a assistência no SUS, baseada nos parâmetros estabelecidos pelo Instituto Nacional do Câncer.

Matéria publicada por Câmara dos Deputados em 28/05/2021 por Cláudio Ferreira.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive