Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Instituto do Câncer faz alerta para o risco de exposição prolongada ao sol

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/02/2019 - Data de atualização: 28/02/2019


Com o verão e as altas temperaturas registradas no país, e com as celebrações ao ar livre durante o Carnaval, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, faz um alerta sobre a importância do cuidado com a pele, já que este é o tipo de tumor mais frequente no Brasil.

Nove a cada 10 pacientes que fazem tratamento no Instituto relatam em consulta que só passaram a utilizar o protetor solar diariamente após o diagnóstico do câncer, segundo Dr. Caio Lamunier, do serviço de dermatologia do Icesp. Ele explica que o histórico de queimaduras solares na infância aumentam em até 75% as chances de uma pessoa desenvolver um câncer de pele na fase adulta.

Do total de pacientes em tratamento de câncer de pele no Instituto, 52% são mulheres e 48% são homens, sendo que 75% tem acima de 59 anos.

“A exposição prolongada ao sol e, sem proteção adequada, causa envelhecimento precoce da pele e contribui com o surgimento deste tipo de câncer, que corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no País”, comenta.

É melhor prevenir…

A melhor forma de combater este tipo de tumor é a prevenção. Por isso, os profissionais recomendam o uso de filtro solar tanto ao ar livre quanto em ambientes fechados. Outra dica importante é evitar o sol entre 10h e 16h, além de usar sempre óculos escuros, chapéus ou bonés com abas largas e guarda-sol, em caso de exposição prolongada em praias ou piscinas.

Apesar de ser considerado o tumor mais prevalente, o câncer de pele apresenta altos percentuais de cura se detectado no início, é fundamental que as pessoas fiquem alertas aos possíveis sinais. O ideal é examinar a pele de todo o corpo regularmente e procurar um dermatologista se notar alguma pinta anormal.

“É importante prestar atenção nas pintas em crescimento, se apresentam formas e bordas irregulares e mais de uma cor. Às vezes podem causar coceira, dor ou sangramento. Outro sintoma é o aparecimento de feridas ou nódulos que não cicatrizam”, alerta a Dra. Maria Lúcia Fernandes Socci, chefe do serviço de dermatologia do Icesp.

Fonte: Governo de São Paulo

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive