Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Injeção de vírus da herpes geneticamente modificado pode tratar o câncer de pele em fase de metástase

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/01/2019 - Data de atualização: 28/01/2019


A injeção com o vírus da herpes geneticamente modificado pode ser a cura para o melanoma,  tipo mais perigoso de câncer de pele. Pesquisa publicada na revista científica Journal of the American College of Surgeons constatou que a injeção efetivamente tratou cerca de 40% dos pacientes com tumores que não puderam ser removidos cirurgicamente. O vírus induz as células do sistema de defesa do corpo a atacar o câncer em fase de metástase - quando ele está se espalhando pelo corpo.

- Nossas descobertas no mundo real imitam o que os ensaios clínicos encontraram anteriormente. - Disse o oncologista David Ollila, um dos autores da pesquisa e membro do departamento de cirurgia da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos. - Abre-se um novo mundo, agora, nas pesquisas sobre melanoma metastático. Em vez da tradicional quimioterapia citotóxica, que não apenas mata as células cancerosas, mas também mata as células normais, estamos estimulando o sistema imunológico a atacar especificamente as células cancerígenas.

Os pesquisadores avaliaram 80 pacientes adultos tratados durante três anos, prazo terminado em 1 de outubro de 2018. A Food and Drug Administration - agência americana paralela à Anvisa - aprovou a injeção chamada TVEC em 2015 para o tratamento de melanoma metastático em estágio avançado.

O TVEC é um vírus da herpes geneticamente modificado para aumentar a resposta imunológica específica do tumor. Ele é injetado diretamente no tumor, que se encontra na pele. A aplicação pode ser feita no consultório ou na clínica do médico, e o paciente pode sair imediatamente depois, sem os efeitos colaterais graves da quimioterapia ou de outros medicamentos contra o câncer que atuam no sistema imunológico - responsável pela proteção do corpo. O fator estimulador envia um alerta que atrai as células de proteção do corpo que circulam pelo sangue. Elas migram para o tumor, induzindo o sistema de defesa do corpo a matar as células do câncer.

Os pesquisadores descobriram que 39% dos participantes tiveram uma resposta local completa ao uso da injeção, e 18% tiveram uma resposta parcial.

- É muito difícil ignorar uma taxa de resposta de 39%. - Disse Ollila.

Fonte: O Globo

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive