Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Informação aliada à resolução

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 06/02/2020 - Data de atualização: 06/02/2020


O pai de Caroline Rodrigues Porto, Rogério Porto, de 50 anos, foi diagnosticado com câncer colorretal em novembro de 2019. Em janeiro, ela procurou o Oncoguia após recomendação da assistente social do Hospital São Paulo para que fosse orientada sobre a lei dos 60 dias.

Por volta de julho de 2019, Rogério começou a sentir dores intensas na região abdominal, perda de peso e sangue nas fezes. Ele marcou uma consulta no posto de saúde e o gastro que o atendeu solicitou uma colonoscopia. O resultado do exame não apontou nenhum problema. Mas como os sintomas persistiram, Rogério resolveu procurar um médico em outro posto de saúde. Com um novo exame em mãos, confirmou-se o diagnóstico de câncer colorretal.

“Entre uma consulta e outra, um exame e outro, procuramos até mesmo um médico particular que disse que meu pai realmente não estava bem. Em 1º de novembro, com o diagnóstico já confirmado de câncer, conseguimos consulta no Hospital São Paulo com um oncologista que mesmo dizendo que a situação era urgente, a demanda do hospital estava muito grande então ele teria que esperar para receber o tratamento”, conta Caroline.

Com 10 pessoas em sua frente na fila, Rogério estava se sentindo muito mal e precisou até passar cinco dias internado. Preocupada com a situação do pai, Caroline procurou a assistente social do Hospital que a informou sobre a lei dos 60 dias e orientou que ela entrasse em contato conosco.

Passo a passo

Ao ligar no canal Ligue Câncer (0800 773 1666), explicamos que o prazo legal para que Rogério fizesse a cirurgia recomendada já havia desrespeitado a lei. Nós a orientamos a procurar pela Defensoria Pública, o que ela fez em 9 de janeiro. Entre os dias 13 e 14 de janeiro, foi emitida uma liminar que determinava que o hospital respondesse à solicitação em até 72 horas informando a posição de Rogério na fila. Uma semana depois, dia 20 de janeiro, o hospital entrou em contato com Caroline já agendando a cirurgia para 27 de janeiro. Na ocasião, ele realizou uma ressecção transuretral (raspagem de bexiga) e realizará uma nova colonoscopia para que o próximo tratamento seja definido. 

Todo esse processo, desde que meu pai apresentou sintomas, levou seis meses. Se não fosse a orientação de vocês, ele estaria na fila até agora e sabe-se lá quando iam agendar a cirurgia dele”, comenta Caroline. 

E você, conhece a lei e seus direitos e sabe como fazê-los valer? Entre em contato pelo Ligue Câncer e informe-se sobre suas dúvidas.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive