Tipos de Câncer

Doença de Castleman

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Imunoterapia para Doença de Castleman

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 28/06/2014 - Data de atualização: 11/10/2017


A imunoterapia é um tratamento que tem o objetivo de aumentar o sistema imunológico, utilizando anticorpos produzidos pelo paciente ou em laboratório.

Anticorpos Monoclonais

Anticorpos são proteínas produzidas pelo sistema imunológico do corpo para ajudar a combater infecções

  • Siltuximabe

O siltuximabe é um anticorpo monoclonal recentemente aprovado pela agência de regulação americana (FDA), para o tratamento da doença de Castleman multicêntrica. Os pacientes com doença de Castleman multicêntrica têm altos níveis da proteína IL-6. O siltuximabe se liga à IL-6, que mantém a ação da proteína. O medicamento não parece se ligar à IL-6, produzida a partir de vírus, de modo que este medicamento não é utilizado em pacientes com doença de Castleman que estão infectados com HIV ou HHV-8.

Este medicamento é administrado como perfusão intravenosa, geralmente a cada 3 semanas.

Os efeitos colaterais podem incluir coceira, inchaço, ganho de peso, rubor na pele com uma sensação de calor, dor, náusea e problemas cardíacos.

  • Rituximabe

O rituximabe é um anticorpo monoclonal amplamente utilizado para linfomas, que também pode ser útil no tratamento da doença de Castleman. Ele se liga à proteína CD20 que se encontra na superfície de alguns linfócitos, levando as células à morte.

O rituximabe é administrado por perfusão intravenosa, do mesmo modo que para os linfomas, sendo frequentemente usado junto com a quimioterapia.

Os efeitos colaterais do rituximabe são mais comuns durante a infusão, podendo incluir calafrios, febre, náuseas, erupções cutâneas, fadiga e dores de cabeça. Raramente, ocorrem efeitos mais severos, como dificuldade respiratória e diminuição da pressão arterial. Este medicamento também pode aumentar o risco de infecções. Ao contrário da quimioterapia padrão, o rituximabe não provoca diminuição das taxas sanguíneas ou perda de cabelo.

Em pacientes infectados com o vírus da hepatite B, este medicamento pode, às vezes, reativar a infecção. O seu médico pode suspeitar de hepatites e solicitar exames específicos para o diagnóstico  de hepatite B antes de iniciar o tratamento com este medicamento.

Novos anticorpos que atacam outros alvos também estão sendo estudados.

  • Medicamentos Imunomoduladores

Os medicamentos como a talidomida e lenalidomida são usados para tratar determinados tipos de  câncer de células do sistema imunológico, como mieloma múltiplo e alguns tipos de linfoma, sendo útil para alguns pacientes com a doença de Castleman.

Os efeitos colaterais podem incluir sonolência, fadiga, constipação, diminuição das taxas sanguíneas e neuropatia. Existe também um risco aumentado de formação de coágulos sanguíneos. Este tende a ser mais provável com a talidomida.

Esses medicamentos não devem ser administrados em mulheres grávidas.

  • Interferon

O interferon é uma proteína similar ao hormônio produzido pelos glóbulos brancos para combater infecções do sistema imunológico. Alguns pacientes com a doença de Castleman melhoram ao receber tratamento com interferon produzido em laboratórios.

O interferon é administrado por via intravenosa ou subcutânea, por alguns dias ou semanas.

Os efeitos colaterais deste tratamento podem incluir fadiga, febre, calafrios, dores de cabeça, dores musculares e articulares e alterações de humor. Devido a esses efeitos colaterais, esse medicamento não é utilizado com muita frequência. Ele pode ser administrado a alguns pacientes, em adição à quimioterapia.

Fonte: American Cancer Society (23/05/2016)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive