Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Gerenciando os sintomas das metástases ósseas

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 19/12/2019 - Data de atualização: 21/01/2020


Quando o câncer se dissemina para os ossos a partir do local de onde começou é denominado metástase óssea. Pode não ser possível curar metástases ósseas, mas ainda existem condutas que podem ser tomadas para melhorar a qualidade de vida do paciente pelo maior tempo possível. Esse cuidado, que visa aliviar o sofrimento e melhorar a qualidade de vida é denominado tratamento de suporte.

Em algum momento, você pode optar por receber apenas terapia de suporte. As terapias de suporte são a atenção que se oferece ao paciente para tratar os sintomas provocados pela doença, aliviar o sofrimento e melhorar sua qualidade de vida.

Aqui, relacionamos alguns dos sintomas provocados pelas metástases ósseas. Nem todos os pacientes apresentaram todos esses sintomas e algumas dessas informações podem não se aplicar a você. Em muitos casos, esses sintomas não são provocados diretamente pelo câncer nos ossos ou podem ter mais de uma causa. Apenas seu médico poderá lhe dizer quais sintomas podem ser devido a sua metástase óssea.

Dor

Existem muitas maneiras de tratar a dor causada por metástases ósseas. Quase todos os tratamentos locais ou sistêmicos comumente usados ​​para metástases ósseas podem ser úteis no tratamento da dor.

Os medicamentos contra dor também são muito úteis. Existem diferentes tipos de medicamentos que podem ser usados no tratamento da dor oncológica, que podem ser administrados de diferentes formas como, por exemplo, pílulas, adesivos, sprays, comprimidos e injetáveis.

Toda dor pode ser tratada e a maior parte da dor pode ser controlada ou aliviada.

Níveis elevados de cálcio (Hipercalcemia)

Conforme as células cancerígenas danificam os ossos, o cálcio é liberado na corrente sanguínea, podendo provocar problemas pelos altos níveis de cálcio no sangue (hipercalcemia).

Os primeiros sintomas de hipercalcemia incluem constipação, aumento da frequência urinária, sonolência e sede constante. Os sinais e sintomas tardios podem incluir fraqueza muscular, dores musculares e articulares, insuficiência renal, confusão e coma.

Altos níveis de cálcio afetam os rins, causando desidratação, o que piora o alto nível do cálcio. O tratamento principal para a hipercalcemia é administrar grandes quantidades de líquidos por via intravenosa.

Bisfosfonatos também são usados para diminuir rapidamente os níveis de cálcio no sangue. Esses medicamentos são administrados por infusão intravenosa e podem ser repetidos mensalmente.  Outros medicamentos podem ser usados ​​se estes não responderem.

Quando o nível de cálcio volta ao normal, o tratamento do câncer pode impedir que o nível de cálcio fique muito alto novamente.

Fraturas de ossos

As metástases ósseas podem enfraquecer os ossos o que os torna mais propensos a fraturas. Os ossos da perna na parte próxima ao quadril muitas vezes fraturam por não suportar o peso do paciente, mas outros ossos também podem fraturar.

A metástase óssea pode provocar dor intensa por um tempo antes do osso realmente fraturar. Um exame de raios X pode mostrar qual osso é suscetível de fratura. Quando possível, o médico tentará evitar a fratura. Para braços e pernas, um suporte metálico é colocado na parte fraca do osso para estabilizá-lo. Esse procedimento é realizado com o paciente sob anestesia geral.

Se o osso estiver fraturado, normalmente, um suporte de aço é colocado sobre a área fraturada do osso para estabilização.  

Os ossos da coluna vertebral também podem fraturar. Se isso ocorrer, a vertebroplastia pode ser realizada. Nesse procedimento, um tipo de cimento ósseo é injetado nos ossos danificados.

A radioterapia pode ser administrada após a cirurgia para tentar evitar mais danos. A radiação não tornará o osso mais forte, mas pode impedir danos maiores.

Compressão da medula espinhal

Às vezes, a doença se disseminou para um osso na coluna vertebral, podendo comprimir a medula espinhal. Isso pode se manifestar de diferentes maneiras: dor nas costas, dormência das pernas e abdômen, fraqueza ou dificuldade para mover as pernas e incontinência urinária.

Se você tiver sintomas como esses, comunique seu médico imediatamente ou vá a um pronto atendimento para investigação e diagnóstico. Em alguns casos, se não for tratado de imediato, podem levar à paralisia.

Se a doença está apenas começando a comprimir a medula espinhal, o tratamento pode prevenir a paralisia e aliviar a dor. A radioterapia é administrada como parte do tratamento, muitas vezes junto com um corticosteroide. A radioterapia é iniciada nas primeiras 12 a 24 horas do aparecimento dos sintomas.

Se a medula espinhal já está mostrando sinais de lesão, como fraqueza nas pernas, a cirurgia imediata seguida de radioterapia pode ser o melhor tratamento.

Fonte: American Cancer Society (16/12/2016)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive