Tipos de Câncer

Câncer de Fígado

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Exames de Laboratório para Diagnóstico do Câncer de Fígado

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 04/10/2015 - Data de atualização: 15/06/2020


O médico pode solicitar exames de laboratório por uma série de razões, como diagnosticar o câncer de fígado, saber porque fígado não está funcionando adequadamente, avaliar o estado de saúde geral do paciente ou investigar sinais de doença após o tratamento.

Os exames de laboratório comumente solicitados para diagnosticar quaisquer problemas no fígado são:

  • Exames de hepatite viral. O médico pode solicitar exames de sangue para o diagnóstico de hepatite B e C.
     
  • Exame da função hepática. Como o câncer de fígado muitas vezes se desenvolve em pacientes portadores de hepatite ou cirrose, os médicos precisam saber em que condições se encontra o fígado antes de iniciar o tratamento. Nesses casos podem ser solicitados exames que medem os níveis de certas substâncias no sangue que mostram como está funcionando o fígado.
     
  • Exame de coagulação do sangue. O fígado também produz proteínas que ajudam a coagular o sangue. Um fígado doente pode não produzir a quantidade ideal de fatores de coagulação, aumentando o risco de hemorragia. Nesses casos, é solicitado coagulograma que inclui: tempo de sangramento, tempo de protrombina, tempo de tromboplastina parcial ativado, tempo de trombina e número de plaquetas para avaliar esse risco.
     
  • Exames da função renal. Os exames de ureia e creatinina muitas vezes são realizados para avaliar o funcionamento dos rins.
     
  • Hemograma completo. O hemograma mede os níveis de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos (que combatem infecções) e plaquetas (que ajudam na coagulação do sangue). Ele dá uma ideia das condições da medula óssea, onde as células sanguíneas são produzidas.
     
  • Bioquímica sanguínea. A análise química do sangue verifica os níveis de uma série de minerais e outras substâncias, algumas das quais podem ser alteradas pela doença.

Texto originalmente publicado no site da American Cancer Society, em 01/04/2019, livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive